Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de uso de hidrocolóides como aditivo estabilizante de espuma em cerveja

Processo: 13/12528-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Flávio Luís Schmidt
Beneficiário:Flávio Luís Schmidt
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Bebidas alcoólicas  Cerveja  Viscosidade  Coloides 

Resumo

O Brasil vem se destacando como grande mercado consumidor e produtor de cerveja no cenário mundial. Tal informação nos mostra o quão importante é desenvolver novas tecnologias cervejeiras a serem pesquisadas no Brasil, buscando uma melhoria da qualidade da cerveja. Sendo assim, a pesquisa em questão tem como objetivo melhorar a estabilidade da espuma da cerveja industrializada mediante a adição de hidrocolóides, após o processo de filtragem da mesma. As famílias de hidrocolóides testadas serão pectina, goma guar, xantana e gelana, as quais serão comparadas com o hidrocolóide atualmente utilizado na indústria, alginato de propilenglicol (APG).O trabalho será dividido em três etapas, para descartar os hidrocolóides que não tenham uma capacidade espumante significativa. Sendo assim, numa primeira etapa se analisará o poder espessante que cada hidrocolóide tem na cerveja, na segunda etapa se realizará uma análise simples de agitação para medir a capacidade espumante e finalmente nos dois melhores hidrocolóides se realizarão análises de estabilidade coloidal, pH, cor, pontuação da estabilidade da espuma, teste de vertido em cilindro, teste de agitação e uma análise com o equipamento automático Lg-automatic. Todas as análises serão feitasantes e depois da adição dos hidrocolóides na cerveja. Nos dois melhores hidrocolóides,serão realizados estudos de delineamento composto central rotacional, de dois fatores e cinco níveis, para assim analisar possíveis sinergias dentre os hidrocolóides e alginato de propilenglicol (APG), assim como avaliar o desempenho deles. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Inovações cervejeiras