Busca avançada
Ano de início
Entree

Valor prognóstico das alterações eletrocardiográficas evolutivas nos pacientes com síndrome coronariana aguda sem supradesnivelamento do segmento ST: estudo ERICO-ECG

Processo: 13/18205-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Itamar de Souza Santos
Beneficiário:Itamar de Souza Santos
Instituição-sede: Hospital Universitário (HU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Alessandra Carvalho Goulart ; Carlos Alberto Pastore ; Debora Sitnik ; Isabela Judith Martins Bensenor ; Nelson Samesima ; Paulo Andrade Lotufo ; Rodrigo Martins Brandao
Bolsa(s) vinculada(s):14/15958-8 - Bolsa de treinamento técnico vinculada à proposta 2013/18205-8, BP.TT
Assunto(s):Cardiologia  Síndrome coronariana aguda  Prognóstico  Eletrocardiografia  Estudos de coortes 

Resumo

Introdução: A síndrome coronariana aguda (SCA) é condição clínica frequente. A sobrevida após um evento de SCA elevou-se nos últimos anos, devido aos avanços terapêuticos das últimas décadas. No Brasil, parte significativa da assistência a pacientes com SCA é prestada por serviços de saúde não especializados em cardiologia. Nesse cenário, o reconhecimento de determinantes prognósticos após um evento de SCA assume importância evidente, principalmente se derivados de elementos presentes em serviços de saúde não especializados. Há evidências do papel prognóstico do eletrocardiograma de admissão hospitalar na prognóstico clínico do paciente com SCA, porém pouco se sabe sobre o impacto das alterações eletrocardiográficas apresentadas durante o restante da fase intra-hospitalar de tratamento. A existência da Estratégia de Registro em Insuficiência Coronariana (ERICO) no Hospital Universitário da USP (HU-USP) cria um cenário favorável, com boa relação custo-benefício, para esse estudo. Objetivo: Avaliar nos participantes do projeto ERICO com angina instável (AI) ou infarto agudo do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST (IAMSSST) o papel preditor da presença de alterações eletrocardiográficas evolutivas no desenvolvimento de eventos cardiovasculares maiores (reinfarto, angioplastia coronariana, cirurgia de revascularização miocárdica ou óbito) durante os 12 primeiros meses de seguimento. Métodos: O estudo ERICO é uma coorte prospectiva de pacientes atendidos no HU-USP com diagnóstico de SCA, iniciada em fevereiro de 2009 e que mantém inclusão de pacientes. Serão incluídos no estudo ancilar ERICO-ECG os participantes com diagnóstico de AI ou IAMSSST admitidos de fevereiro/2009 a dezembro/2012. Os eletrocardiogramas serão revistos por dois médicos independentes, com enfoque na presença de alterações relacionadas ao processo isquêmico agudo. Os traçados de admissão e final serão codificados de acordo com o Minnesota Code. Estima-se uma amostra necessária de 501 indivíduos para detectar uma diferença de 23% para 13% na incidência de eventos cardiovasculares maiores no período avaliado. (AU)