Busca avançada
Ano de início
Entree

Conteúdo de fósforo em alimentos contendo aditivos e a associação na fosfatemia de pacientes em hemodiálise crônica

Processo: 13/17956-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Dietética
Pesquisador responsável:Jacqueline Costa Teixeira Caramori
Beneficiário:Jacqueline Costa Teixeira Caramori
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Helio Grassi Filho ; Pasqual Barretti ; Pricila Veiga dos Santos
Bolsa(s) vinculada(s):14/03690-0 - Relação da ingestão de fósforo estimada por inquéritos alimentares com a fosfatemia de pacientes renais crônicos em hemodiálise, BP.TT
Assunto(s):Avaliação nutricional  Diálise renal  Alimentos industrializados  Aditivos alimentares  Fósforo 

Resumo

Apesar dos avanços científicos e tecnológicos observados na terapia renal substitutiva, ainda se observa elevada mortalidade nos pacientes em estágios avançados da doença renal crônica (DRC). As doenças cardiovasculares particularmente as de natureza isquêmica, estão associadas à aterosclerose, mas intimamente relacionados à condição urêmica, cursando com calcificação vascular influenciada por distúrbios do metabolismo do cálcio e fósforo, fatores associados à elevada mortalidade. Devido à menor capacidade de excreção de fósforo, os pacientes tendem a desenvolver hiperfosfatemia, principalmente se ingerirem alimentos com alto teor de fósforo . O controle do fósforo sérico pode ser obtido pela combinação da restrição dietética desse elemento, redução da absorção gastrintestinal com o uso de quelantes e com medidas que favoreçam o aumento de sua eliminação pelos métodos dialíticos. Os aditivos que contém fósforo estão cada vez mais sendo incluídos entre os alimentos processados, destaca-se que os sais de fosfato são quase totalmente absorvidos, enquanto a absorção do fósforo dos alimentos "in natura" é cerca de 60%. Além disso, não há exigência legal de que as quantidades de fósforo presentes em aditivos sejam incluídas na rotulagem nutricional; e que nenhum estudo brasileiro abordou esse tema. O presente estudo objetiva elaborar uma lista dos produtos industrializados, cárneos e bebidas, mais consumidos; determinar o conteúdo de fósforo nestes alimentos; e, avaliar a associação entre a quantidade de fósforo ingerida, incluindo a quantificação dos alimentos e bebidas contendo aditivos, e a fosfatemia na população de pacientes com DRC em tratamento dialítico. Será um estudo analítico e descritivo, observacional, transversal e prospectivo, onde serão incluídos pacientes adultos com idade igual ou superior a 18 anos, portadores de DRC, tratados regularmente por hemodiálise (HD), há pelo menos 90 dias, na Unidade de Diálise do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP. Serão aplicados questionários de frequência alimentar aos pacientes, de onde será elaborada lista de alimentos e bebidas consumidas. A partir da lista serão selecionados os 20 alimentos e as 10 bebidas, que contenham em sua rotulagem designação correspondente a aditivos contendo fósforo, que serão analisados em amostras duplicadas. A determinação de fósforo total nos produtos sólidos será por colorimetia do metavanadato; e nos produtos líquidos, será por espectrofotometria de absorção atômica. Na avaliação da associação entre ingestão de fósforo e fosfatemia, através de inquérito alimentar e parâmetros bioquímicos, o conteúdo de fósforo oriundo destes alimentos e bebidas será calculado considerando as dosagens realizadas nos alimentos, baseando-se, portanto, na determinação do teor de fósforo médio de cada produto. Para isso, os resultados das determinações de cada alimento serão cadastrados no software "Dietpro 5i Profissional", para cálculo dos registros alimentares de 72 horas considerando a dieta total do paciente e a dieta considerando somente aqueles alimentos pertencentes à lista. A estimativa da ingestão proteica diária será realizada pelo cálculo do equivalente proteico do aparecimento do nitrogênio (PNA). Será realizada regressão logística univariada, para se testar a associação entre os dados demográficos, clínicos, dialíticos, laboratoriais, além do PNA e a fosfatemia, sendo incluídos no modelo multivariado aquelas que apresentarem probabilidade inferior a 0,20 de associação aleatória com a presença de hiperfosfatemia. Para avaliar a associação entre quantidade ingerida de fósforo a partir de alimentos e bebidas contendo aditivos e a fosfatemia, após ajuste para possíveis variáveis de confusão, será utilizado modelo regressão logística binária, na qual as variáveis dependentes serão a presença ou ausência de hiperfosfatemia. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
WATANABE, MARCELA T.; ARAUJO, RAPHAEL M.; VOGT, BARBARA P.; BARRETTI, PASQUAL; CARAMORI, JACQUELINE C. T. Most consumed processed foods by patients on hemodialysis: Alert for phosphate-containing additives and the phosphate-to-protein ratio. CLINICAL NUTRITION ESPEN, v. 14, p. 37-41, AUG 2016. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.