Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização imunohistoquímica dos componentes da matriz extracelular durante o desenvolvimento do deciduoma e estudo do efeito dos hormônios ovarianos sob a expressão e síntese de moléculas da matriz extracelular por células deciduais in vitro

Processo: 13/16922-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Telma Maria Tenório Zorn
Beneficiário:Telma Maria Tenório Zorn
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Rodolfo Favaro Ribeiro ; Vanessa Morais Freitas
Assunto(s):Implantação do embrião  Deciduoma  Matriz extracelular  Estrógenos  Progesterona  Imuno-histoquímica  Microscopia eletrônica de transmissão 

Resumo

Durante a gestação em várias espécies de mamíferos, os fibroblastos endometriais sofrem profundas modificações morfofuncionais que levam à aquisição de um fenótipo epitelial, formando uma nova estrutura no útero denominada decídua. Em camundongos, a reação decidual pode ser estimulada artificialmente (na ausência embrião), resultando na formação do deciduoma, um modelo de grande relevância para a identificação de fatores oriundos ou não do embrião para a promoção da decidualização. A decidualização promove uma profunda remodelação da matriz extracelular (MEC) do endométrio, e ambos os processos são fundamentais para o sucesso da gestação. Existem evidências, muitas das quais oriundas de estudos do Laboratório de Biologia da Reprodução e Matriz Extracelular (LBR-MEC), mostrando que a remodelação da MEC do útero não-grávido é modulada pelos hormônios ovarianos estrógeno (E2) e progesterona (P4) (Auxílio à pesquisa FAPESP: 10/52543-0; Salgado et al., 2009; Salgado et al., 2011; Salgado et al., 2013). Faltam, entretanto, na literatura estudos consistentes sobre a regulação da MEC endometrial na ausência de sinais parácrinos provenientes do embrião. Além disso, ainda não é conhecido o papel dos hormônios ovarianos sobre a produção de componentes da MEC pelas células deciduais. Desse modo, o presente projeto tem dois objetivos centrais: (i) caracterizar a composição e estrutura da MEC do deciduoma, durante o seu desenvolvimento, por microscopia eletrônica de transmissão e imunohistoquímica em microscopia de luz e eletrônica; (ii) estudar por meio de abordagens in vitro, utilizando-se culturas primárias de células deciduais, o efeito dos hormônios E2 e P4 na dinâmica de síntese e secreção de moléculas da MEC. As análises serão realizadas pelas técnicas de qPCR, Western blot e imunolocalização. Espera-se que os resultados possam complementar aqueles já obtidos por este laboratório, trazendo informações sobre os fatores que contribuem para a regulação da MEC da decídua. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.