Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da exposição a agentes carcinogênicos ambientais e ocupacionais em trabalhadores da construção civil

Processo: 12/24279-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Henrique César Santejo Silveira
Beneficiário:Henrique César Santejo Silveira
Instituição-sede: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos , SP, Brasil
Pesq. associados:André Lopes Carvalho ; Fernando Barbosa Júnior ; Márcia Maria Chiquitelli Marques Silveira ; Paulo Hilário Nascimento Saldiva ; Pérola de Castro Vasconcellos ; Rui Manuel Vieira Reis
Assunto(s):Exposição ocupacional  Construção civil  Carcinógenos  Genotoxicidade  Linfócitos  Biomarcadores tumorais  Metilação de DNA  Pirosequenciamento  Testes para micronúcleos 

Resumo

O setor da construção civil possui grande representatividade na economia brasileira e grande importância social, tendo em vista que só no estado de São Paulo o número de empresas ativas em 2009 foi de 10.543, com 606.060 pessoas ocupadas. Os trabalhadores, como os peões de obra, possuem longas jornadas de trabalho e estão expostos a diversos fatores ambientais e ocupacionais que podem levar ao desenvolvimento de doenças, como o câncer. Estima-se que de 2% a 8% dos cânceres em todo o mundo são em consequência da exposição ocupacional a substâncias carcinogênicas, sendo que o mais comum é o câncer de pulmão, que é responsável por 70% dos casos. A exposição destes trabalhadores a materiais contendo amianto, sílica e metais, além da exposição à radiação solar, são fatores capazes de interferir na estabilidade do genoma humano, provocando quebras no DNA, que podem causar alterações gênicas importantes no funcionamento normal do ciclo e na sobrevivência celular. Sendo assim, este projeto visa avaliar os danos genotóxicos e o potencial risco de câncer em trabalhadores expostos. Para isto, serão determinadas as frequências de micronúcleos em linfócitos do sangue e células da mucosa bucal dos trabalhadores da construção e comparadas a um grupo controle. Também serão dosados os metais do sangue dos grupos teste (trabalhadores da construção civil) e controle pela técnica de espectrometria de massas com fonte de plasma indutivamente acoplado (ICP-MS). Além disso, serão utilizados biomarcadores genéticos e epigenéticos e tecnologias de análise em larga escala afim de melhor elucidar os mecanismos moleculares que regem o funcionamento normal da célula e o impacto da exposição aos agentes carcinogênicos ambientais. Cursos e palestras contribuirão com a prevenção de câncer junto à comunidade participante. (AU)