Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos potenciais anti-Leishmania e anti-Tripanossoma dos ácidos oleanólico e ursólico

Processo: 13/16297-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luiz Felipe Domingues Passero
Beneficiário:Luiz Felipe Domingues Passero
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:João Henrique Ghilardi Lago ; Marcia Dalastra Laurenti
Assunto(s):Leishmaniose visceral  Leishmaniose tegumentar difusa  Tripanossomíase africana  Triterpenos  Antiparasitários  Ácido oleanólico  Ácido ursólico  Citocinas 

Resumo

Recentemente, foi avaliado o efeito leishmanicida de diferentes compostos naturais purificados das folhas de Baccharis uncinella. Uma das frações, enriquecidas com os ácidos oleanólico e ursólico, apresentou um elevado potencial contra formas promastigotas e amastigotas de Leishmania (Leishmania) amazonensis e L. (Viannia) braziliensis, sem mostar toxicidade a células e animais. Para dar contiuidade a este estudo e aumentar seu enfoque, o presente projeto científico objetiva avaliar o potencial antiparasitário dos ácidos oleanólico e ursólico purificados. Para isso, hamster serão infectados com Leishmania (Leishmania) infantum chagasi e camundongos BALB/c com Leishmania (Leishmania) amazonensis e Trypanosoma brucei brucei. Estes animais serão tratados com diferentes doses de ácidos oleanólico e ursólico, assim o respectivo fármaco referência. Após tratamento, o parasitismo em diferentes órgãos será avaliado, assim como a produção ou expressão das citocinas IL-4, IL-10, IFN-g, TNF-a e IL-12 nos órgãos linfáticos. Os níveis de IgG1 e IgG2 também serão avaliados. Além disso, a duplicação de genes associados à resistência parasitária será avaliada nos protozoários extracelulares e intracelulares incubados com os triterpenos e os fármacos padrões. Este projeto visa buscar novos alvos ou moléculas protótipos à terapêutica das doenças negligenciadas causadas por protozoários patogênicos. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
JESUS, JESSICA A.; FRAGOSO, THAIS N.; YAMAMOTO, EDUARDO S.; LAURENTI, MARCIA D.; SILVA, MARCELO S.; FERREIRA, AUREA F.; LAGO, JOAO HENRIQUE G.; GOMES, GABRIELA S.; PASSERO, LUIZ FELIPE D. Therapeutic effect of ursolic acid in experimental visceral leishmaniasis. INTERNATIONAL JOURNAL FOR PARASITOLOGY-DRUGS AND DRUG RESISTANCE, v. 7, n. 1, p. 1-11, APR 2017. Citações Web of Science: 15.
DE SOUSA, CAROLINA BRUNO; GANGADHAR, KATKAM N.; MORAIS, THIAGO R.; CONSERVA, GEANNE A. A.; VIZETTO-DUARTE, CATARINA; PEREIRA, HUGO; LAURENTI, MARCIA D.; CAMPINO, LENEA; LEVY, DEBORA; UEMI, MIRIAM; BARREIRA, LUISA; CUSTODIO, LUISA; PASSERO, LUIZ FELIPE D.; LAGO, JOAO HENRIQUE G.; VARELA, JOAO. Antileishmanial activity of meroditerpenoids from the macroalgae Cystoseira baccata. Experimental Parasitology, v. 174, p. 1-9, MAR 2017. Citações Web of Science: 12.
YAMAMOTO, EDUARDO S.; CAMPOS, BRUNO L. S.; JESUS, JESSICA A.; LAURENTI, MARCIA D.; RIBEIRO, SUSAN P.; KALLAS, ESPER G.; RAFAEL-FERNANDES, MARIANA; SANTOS-GOMES, GABRIELA; SILVA, MARCELO S.; SESSA, DEBORAH P.; LAGO, JOAO H. G.; LEVY, DEBORA; PASSERO, LUIZ F. D. The Effect of Ursolic Acid on Leishmania (Leishmania) amazonensis Is Related to Programed Cell Death and Presents Therapeutic Potential in Experimental Cutaneous Leishmaniasis. PLoS One, v. 10, n. 12 DEC 16 2015. Citações Web of Science: 18.
JESUS, JESSICA A.; LAGO, JOAO HENRIQUE G.; LAURENTI, MARCIA D.; YAMAMOTO, EDUARDO S.; PASSERO, LUIZ FELIPE D. Antimicrobial Activity of Oleanolic and Ursolic Acids: An Update. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine, 2015. Citações Web of Science: 19.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.