Busca avançada
Ano de início
Entree

Bioacessibilidade de beta-criptoxantina e beta-caroteno nos principais alimentos que contribuem para a ingestão de provitamina A no Brasil, Panamá e Espanha

Processo: 13/50789-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Convênio/Acordo: Consejo Superior de Investigaciones Cientificas (CSIC)
Pesquisador responsável:Adriana Zerlotti Mercadante
Beneficiário:Adriana Zerlotti Mercadante
Pesq. responsável no exterior: Begoña Olmedilla Alonso
Instituição no exterior: Universidad Complutense de Madrid (UCM), Espanha
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/20988-8 - Bioacessibilidade in vitro de carotenóides e de compostos fenólicos em emulsões: compostos formados e influência na capacidade antioxidante, AP.R
Assunto(s):Carotenoides  Biodisponibilidade  Vitamina A  Substâncias bioativas 

Resumo

A beta-criptoxantina é um carotenoide com atividade de vitamina A encontrado em diversas frutas amplamente consumidas. Entretanto, existe pouca informação sobre a biodisponibilidade deste carotenoide, o que por sua vez é um fator determinante para estimar sua contribuição na ingestão de vitamina A. Teoricamente considera-se que a beta-criptoxantina tenha metade do fator de bioconversão do beta-caroteno. A avaliação dietética de vitamina A mostra que o consumo está abaixo da ingestão dietética de referência (DRI) em diversos países (incluindo uma porcentagem da população espanhola, brasileira e panamenha); entretanto, isto não é refletido nos altas níveis do marcador bioquímico (retinol sérico). Estes fatos sugerem que a contribuição provitamínica A dos carotenoides pode ser maior do que a estimada atualmente. Este projeto é focado na bioacessibilidade de dois carotenoides provitamina A como conceito chave do termo global biodisponibilidade relacionado com a disponibilidade de compostos bioativos presentes na matriz alimentícia que durante a digestão tornam-se disponíveis para absorção no intestino. Um método comum para determinar a bioacessibilidade de beta-criptoxantina e de beta-caroteno será padronizado e aplicado a frutas que sejam as principais contribuintes para a ingestão de vitamina A no Brasil, Espanha e Panamá. Estes resultados serão incluídos na base de dados de carotenoides que está sendo desenvolvida pela rede IBEROCAROT, da qual todos os participantes desta proposta são membros. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VARGAS-MURGA, LILIANA; DE ROSSO, VERIDIANA V.; MERCADANTE, ADRIANA Z.; OLMEDILLA-ALONSO, BEGONA. Fruits and vegetables in the Brazilian Household Budget Survey (2008-2009): carotenoid content and assessment of individual carotenoid intake. Journal of Food Composition and Analysis, v. 50, p. 88-96, JUL 2016. Citações Web of Science: 9.
ESTEVEZ-SANTIAGO, R.; OLMEDILLA-ALONSO, B.; FERNANDEZ-JALAO, I. Bioaccessibility of provitamin A carotenoids from fruits: application of a standardised static in vitro digestion method. FOOD & FUNCTION, v. 7, n. 3, p. 1354-1366, 2016. Citações Web of Science: 18.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.