Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de diferentes espécies de mamíferos envolvidos na epidemiologia da raiva como reservatórios ou hospedeiros pelo sequenciamento do gene citocromo b do DNA mitocondrial

Processo: 13/23650-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Pedro Carnieli Junior
Beneficiário:Pedro Carnieli Junior
Instituição-sede: Instituto Pasteur (IP). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Paulo Eduardo Brandão
Assunto(s):Biologia molecular  Vírus da raiva  Morfometria  Análise de sequência de DNA  DNA mitocondrial  Citocromos b  Animais domésticos  Animais silvestres 

Resumo

A identificação das espécies que atuam como reservatórios ou hospedeiros de zoonoses é essencial para o controle e vigilância epidemiológica dessas doenças. Os vírus são os principais agentes etiológicos das zoonoses emergentes e reemergente em todo o mundo. A raiva é uma doença reemergente causada por um vírus neurotrópico, o vírus da raiva (RABV). O RABV tem diversas linhagens genéticas, mantidas por diferentes reservatórios em diferentes regiões geográficas. No Brasil podem ser identificados reservatórios domésticos e silvestres do RABV como os cães domésticos, o cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), o morcego hematófago Desmodus rotundus, os morcegos não hematófagos de diferentes espécies e os saguis do tufo branco (Callithrix jacchus). A identificação morfométrica de espécies é um método eficaz, porém requer pessoal especializado e com a evolução da biologia molecular e da bioinformática o sequenciamento genético pode ser utilizado para melhorar a identificação de espécies. O sequenciamento de diferentes regiões do DNA mitocondrial, como os genes citocromo oxidase I, citocromo b e a região de controle têm sido utilizados em estudos de sistemática, evolução, ecologia e patogenia. O sequenciamento do gene citocromo b do DNA mitocondrial pode, portanto, ser utilizado como uma alternativa eficaz, ou mesmo, em combinação com a identificação morfométrica. Este projeto tem o objetivo de sequenciar o gene citocromo b do DNA mitocondrial de espécies domésticas e silvestres de mamíferos do Brasil para ajudar na melhoria da vigilância da raiva e outras zoonoses no País. (AU)