Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo, desenvolvimento e aprimoramento de pós metálicos atomizados a gás para aplicação e utilização no processo de sinterização a laser em metal e Electron Beam Melting EBM, para confecção de próteses odontológicas e médicas. Utilizando pós de ligas de cobalto-cromo

Resumo

Aprimorar o estudo e desenvolvimento na utilização das ligas de Co-Cr em pó obtido no processo de atomização a gás realizado conforme relatado no PIPE II (processo nº 05/59838-7 - Ligas Metálicas de Ni-Cr e Co-Cr pelo Processo de Microfusão e Ligas Metálicas de Nl-Cr pelo Processo de Moagem e Atomização para Aplicações em Próteses Dentárias Para Metaloceramica), que contemplou no ano de 2011 o desenvolvimento da liga de Co-Cr microfundida e das ligas de Ni-Cr e Co-Cr em pó (atomizadas a gás e a água) com relatórios aprovados datados de 20/10/2011. Testes preliminares no pó obtido foram realizados no equipamento de Sinterização a Laser. Este processo bem como EBM-Electron Beam Melting tem seus conceitos estabelecidos em princípios preconizados nas técnicas de prototipagem rápida (PR), já bem estabelecida e utilizada pela indústria automobilística e médica. Hoje se fala em produção direta de protótipos metálicos, ou mesmo de produção comercial de pequenos lotes. O processo é complexo e funciona como uma impressão 3D (ALVES, 2009). Um recipiente de pó metálico é sinterizado de forma seletiva, camada a camada, comandado por uma interface que transmite o "modelo eletrônico", obtido por técnica de escaneamento ao equipamento sinterização. Pós-finos, esféricos, de boa escoabilidade e empacotamento são os ideais para utilização neste processo. Pós com essas características são produzidos por atomização a gás. A utilização da sinterização a laser ou por feixe de elétrons em metal para produção de elementos na área odontologica e médica propicia o uso de quantidades de metal mais próximas das necessárias, portanto em menor quantidade em relação à fundição de precisão. Em peças de pequeno tamanho representa uma economia motivada por dois principais aspectos: a) a prótese obtida representa fielmente o modelo scaneado (imagem 3D); b) possibilidade de se peneirar o pó que não foi utilizado e retomá-lo ao processo. Após a obtenção das próteses este componente deve ser submetido ao tratamento térmico de alívio de tensões, visando aumentar sua tenacidade. A inovação principal desta proposta está em aprimorar o uso de pós-metálicos para aplicação no processo de sinterização a laser e com feixe de elétron em metal, com o objetivo de produzir próteses odontológicas e médicas, uma vez que não existe empresa nacional que produza ou comercialize esta forma de ligas, ou seja, na forma de pós. (AU)