Busca avançada
Ano de início
Entree

Isoformas da enzima conversora de angiotensina I como possíveis marcadores na hipertensão programada pela desnutrição intrauterina

Processo: 13/01616-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Claudina Camargo de Andrade
Beneficiário:Maria Claudina Camargo de Andrade
Instituição-sede: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE). Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Dulce Elena Casarini ; Eliane Beraldi Ribeiro
Assunto(s):Nefrologia  Desnutrição fetal  Hipertensão induzida pela gravidez  Sistema renina-angiotensina  Peptidil dipeptidase A  Isoformas de proteínas  Expressão de proteínas 

Resumo

A condição nutricional desfavorável, durante as fases iniciais do desenvolvimento, pode alterar a função de órgãos e tecidos, "programando metabolicamente" os indivíduos para o aparecimento de doenças na maturidade. A desnutrição intrauterina é uma condição clínica que tem sido associada com doenças renais, diabetes tipo 2 e hipertensão arterial como consequência desta programação fetal. O rim possui um papel chave no desenvolvimento da hipertensão programada pela desnutrição intrauterina, havendo a participação do Sistema Renina Angiotensina (SRA) na etiologia desta doença. O SRA exerce importante função na regulação da pressão arterial onde a enzima conversora de angiotensina I (ECA) cliva a angiotensina I em angiotensina II, um peptídeo vasoconstritor. Estudos do nosso grupo, detectaram na urina de indivíduos normais, as isoformas da ECA de 190 e 65 kDa, e na urina de pacientes hipertensos, as isoformas de 90 e 65 kDa, sendo que a isoforma de 90 kDa é descrita como um marcador genético de hipertensão. O objetivo deste estudo será verificar o perfil das isoformas da ECA, em especial as isoformas N-domínio da ECA, de 90 e 65 kDa, neste modelo de estudo, bem como os níveis das angiotensinas. Para isto, casais de ratos Wistar, serão acasalados e quando, detectada provável concepção, as fêmeas serão separadas em dois grupos experimentais: grupo Controle (C), alimentadas ad libitum, e grupo Desnutrido (D), submetido restrição alimentar. Após o nascimento da prole, serão mantidos os grupos C e D, respectivamente. Aos 4 meses de idade, os animais serão sacrificados, coletados soro, plasma e tecidos para as dosagens da atividade da ECA, dos níveis das angiotensinas e análise da expressão proteica da ECA. Esperamos encontrar uma correlação da expressão dos componentes do SRA, com as manifestações fisiológicas pertinentes à hipertensão pré-programada. (AU)