Busca avançada
Ano de início
Entree

Characteristics of sexual violence against adolescent girls and adult women

Processo: 14/00258-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2014 - 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Luiz Carlos de Abreu
Beneficiário:Luiz Carlos de Abreu
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde materno-infantil  Adolescentes 

Resumo

Introdução: A violência sexual é considerada uma grave violação dos direitos humanos que afeta principalmente mulheres jovens e adolescentes . A região metropolitana de São Paulo é a quarta maior aglomeração urbana do mundo, com 29 milhões de pessoas que enfrentam o crime em condições típicas de grandes áreas urbanas. No entanto, há pouca informação sobre as condições em que ocorrem os crimes sexuais, ou as características dos agressores e das vítimas. Objetivo: comparar as características de violência sexual contra meninas adolescentes e mulheres adultas. Método: Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo, retrospectivo, da violência sexual contra meninas adolescentes e mulheres adultas. As análises foram realizadas em dados coletados de 1.118 mulheres, 546 adolescentes ( 10-19 anos) e 572 adultas ( e 20 anos) , com queixa de estupro, tratadas no Hospital Pérola Byington , em São Paulo, entre julho de 1994 e agosto de 1999 , de acordo com os critérios legislativos brasileiros. O limite de idade da amostra de adolescentes preencheram os critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS). Analisamos o tipo de contato sexual , grau de intimidação, autor e atividade da vítima durante a abordagem. Os dados foram coletados por meio de um formulário padronizado e entrou em EpiInfo , versão 6.04b . Resultados: A idade média das vítimas foi de 21,0 anos ± 5,8 anos . A freqüência de penetração vaginal , anal e oral foi semelhante nos dois grupos etários. Crimes sem penetração foram cinco vezes mais freqüentes em adolescentes e uso de ameaças de morte ou intimidação foi comum em ambos os grupos. A doença mental - um critério legal para a vulnerabilidade - foi mais prevalente em adultas (70%) , e a maioria das adolescentes tinham idade < 14 anos ( 59,4%) . Tio e padrasto foram autores mais freqüentes entre as adolescentes ( 20%) e parceiros ou ex- parceiros íntimos em mulheres adultas (25,2%) . Na maioria dos casos, a abordagem ocorreu em locais públicos (80,5%) , embora crimes sexuais na residência do autor foram mais freqüentes entre as adolescentes. Conclusão: os crimes sexuais apresentaram características semelhantes em ambos os grupos. Em um número significativo de casos, eles foram associados com o risco de gravidez indesejada e doenças sexualmente transmissíveis. Embora as crianças e adolescentes requerem as mesmas medidas de intervenção e proteção legal , uma proporção considerável de criminosos sexuais adolescentes podem enfrentar condições semelhantes às das mulheres adultas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)