Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação da hiperalgesia inflamatória persistente no desenvolvimento da depressão e na expressão do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF), na área tegmental ventral e no núcleo accumbes de ratos

Resumo

As dores psicossomáticas, como a fibromialgia, por exemplo, são dores crônicas associadas a reações emocionais de ansiedade e depressão, que podem ser ocasionadas por uma excessiva ativação das respostas fisiológicas do órgão lesado. O Sistema Dopaminérgico Mesolímbico, do qual faz parte o Núcleo Accumbens (NAcc) e a Área Tegmental Ventral (VTA), participam tanto da modulação da dor quanto da mediação de anormalidades comportamentais observadas na depressão. Nesse sistema, a molécula da família das neurotrofinas denominada fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) potencializa a liberação de dopamina no NAcc através da ativação do receptor de membrana tirosina-quinase B seletivo para o BDNF (TrKB) nos terminais neuronais dopaminérgicos. O BDNF participa do mecanismo de modulação da dor crônica e do desenvolvimento da depressão, podendo, estar envolvido nos mecanismos moleculares das dores psicossomáticas. No entanto, não se sabe se a hiperalgesia inflamatória persistente induz comportamento depressivo, e se o BDNF atua na VTA e no NAcc como um mediador importante de alterações na hiperalgesia inflamatória persistente. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho será verificar se a hiperalgesia inflamatória persistente induz comportamento depressivo em ratos e se altera a expressão de RNAm e protéica de BNDF no Sistema Dopaminérgico Mesolímbico (NAcc e VTA), assim como investigar a função do BDNF via ativação de receptor TrKB no NAcc na hiperalgesia inflamatória persistente. Esse projeto irá contribuir para a compreensão dos mecanismos moleculares compartilhados em condições de dor inflamatória crônica e depressão. (AU)