Busca avançada
Ano de início
Entree

Cadernos do outro mundo: o Fórum Social Mundial em Porto Alegre

Processo: 13/24493-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de março de 2014 - 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Fernanda Arêas Peixoto
Beneficiário:Fernanda Arêas Peixoto
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Antropologia política  Movimentos sociais  Etnografia  Congressos 

Resumo

A presente tese é uma reflexão etnográfica sobre o processo de constituição do Fórum Social Mundial (FSM) como experiência política particular, vinculada à realização de encontros internacionais anuais na cidade de Porto Alegre (RS, Brasil) entre 2001 e 2005, no contexto mais amplo de protestos, encontros e debates associados ao ciclo contestatório dos movimentos anti-globalização ou alter mundialistas. Partindo da análise de textos produzidos a respeito do FSM, de documentos de registro da dinâmica organizativa e de memórias institucionais e pessoais de participação neste processo, este trabalho elabora algumas sínteses a respeito da relação entre a forma de práticas e discursos e os modos de produção dos sentidos das experiências políticas contemporâneas. O trabalho contribui para reforçar as análises qualitativas e críticas a respeito do fenômeno complexo do Fórum Social Mundial, através de uma perspectiva antropológica que tem como base exercício etnográfico de atenção e descrição dos usos particulares de categorias generalizantes tais como estratégia, metodologia e memória. Voltada para a dimensão processual e expressiva dos modos de fazer e modos de dizer coletivos, a abordagem busca destacar densidade de significados e a historicidade das linguagens da ação política, a partir de inspirações teóricas retiradas das análises das práticas cotidianas, que permitem aproximações entre as antropologias da arte e dos rituais às da política e do conflito. (AU)