Busca avançada
Ano de início
Entree

Projeto de IM sistema aviônico certificável para veículos aéreos não tripulados (VANTs) de aplicação civil

Processo: 13/50946-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2014 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Aeroespacial - Sistemas Aeroespaciais
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Giovani Amianti
Beneficiário:Giovani Amianti
Empresa:XMobots Aeroespacial e Defesa Ltda. - ME (XMobots)
Município: São Carlos
Vinculado ao auxílio:07/55661-0 - Projeto de um sistema aviônico certificável para veículos aéreos não tripulados (VANTS) de aplicação civil, AP.PIPE
Assunto(s):Operação de aeronaves  Pilotagem de aeronaves  Aeronaves não tripuladas  Veículos inteligentes 

Resumo

Atualmente, fica evidente que o foco dos investimentos de P&D em Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT) está na área militar. No entanto, a tendência é que estes sistemas tornem-se acessíveis a aplicações civis cujas principais vantagens são: a alta confiabilidade, baixo risco à vida, reduzido custo de implantação e manutenção. Mais especificamente no Brasil, este mercado mostra-se promissor, pois o cenário nacional revela diversos nichos para a aplicação de VANTs, mais especificamente monitoramento ambiental, preditivo, urbano e rural. Entretanto para a operação de VANTs nestas aplicações será necessário certificação do SANT, incluindo a plataforma e aviônica. O objetivo deste projeto é desenvolver um sistema aviônico capaz de ser certificável para operação remota de VANTs (tanto os da XMobots como os de outras empresas) em áreas populosas e/ou de espaço aéreo controlado, compreendendo tanto a aviônica embarcada no veículo não tripulado quanto a da estação base em solo, ambas conectadas por um sistema de comunicação com linha de visada direta. Segundo os órgãos de certificação aeronáutica, os VANTs serão inseridos no espaço aéreo de forma transparente, ou seja, não deverá haver modificações no sistema de tráfego aéreo. Consequentemente, os VANTs deverão atender a regulamentações muito próximas às impostas para aeronaves tripuladas. Acima de tudo, os SANTs deverão manter o nível de segurança equivalente ao de aeronaves tripuladas, revelando-se este o principal desafio técnico deste projeto. Assim, no Brasil e no mundo, para obter do certificado de operação de VANTs em áreas populosas e no espaço aéreo controlado, é imprescindível: -o desenvolvimento e validação do hardware e software de acordo com a RTCA DO- 160F (2007)/RTCA DO-254 (2000) e RTCA DO-178B (1992), respectivamente; -comprovar o ELOS com base na avaliação de segurança do sistema de acordo com a SAE ARP 4761/ARP4754 (1996). Neste desenvolvimento será adotada uma metodologia de projeto desenvolvida pelo coordenador, que reduz significativamente o tempo e custo de desenvolvimento com aumento da qualidade do produto final. Esta metodologia baseia-se em boas práticas de projeto do SETOR AERONÁUTICO TRIPULADO auxiliadas por ferramentas que automatizam tarefas repetitivas como geração de código, testes e documentação. Já do ponto de vista comercial, observou-se na análise de mercado a carência de aviônicos certificados. Assim conclui-se que o produto deste projeto é inovador e tem um grande potencial comercia, com diversos clientes formalmente interessados. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.