Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de sucos de frutas da família Myrtaceae sobre a glicemia pós-prandial em indivíduos com síndrome metabólica e disglicemia

Processo: 13/19797-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2014 - 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Maria Ines Genovese Rodriguez
Beneficiário:Maria Ines Genovese Rodriguez
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Rosa Ferreira dos Santos
Assunto(s):Compostos bioativos  Compostos fenólicos  Síndrome metabólica  Diabetes mellitus tipo 2  Myrtaceae  Sucos de frutas 

Resumo

A incidência de Sindrome Metabólica (SM) e de diabetes do tipo 2 (DM2) tomou proporções epidêmicas nos últimos anos, atingindo bilhões de indivíduos em todo o mundo, e encontra-se em contínuo crescimento. Nesse sentido, inovações na área científica, capazes de prevenir e/ou tratar essa patologia, tornam-se relevantes para amenizar seus impactos na saúde pública, tendo em vista a baixa adesão ao tratamento medicamentoso. Estudos vêm mostrando que compostos bioativos fenólicos podem ser capazes de influenciar o metabolismo de carboidratos, sendo assim uma alternativa para a população portadora dessa doença. Algumas frutas nativas brasileiras podem ser consideradas excelentes fontes de compostos bioativos de natureza fenólica. Destacamos, dentre elas, as frutas da família Myrtaceae, como araçá, cambuci, jabuticaba, camu-camu, e cagaita, cujos compostos fenólicos são capazes de inibir as enzimas do metabolismo de carboidratos, alfa-amilase e alfa-glicosidase, in vitro, e cujos sucos clarificados são capazes de diminuir a glicemia pós-prandial, em cerca de 20 a 60%, em indivíduos saudáveis (resultados obtidos no Projeto FAPESP 2009/14654-7). O objetivo do presente trabalho é ampliar o estudo anterior avaliando o efeito de sucos de duas frutas nativas brasileiras, cagaita e cambuci, da família das Mirtáceas, selecionadas de acordo com os resultados previamente obtidos em indivíduos saudáveis, sobre a glicemia pós-prandial e capacidade antioxidante em seres humanos pré-diabéticos, após consumo de 25 g de carboidratos disponíveis provenientes de pão branco (aproximadamente 1 pão francês de 50 g), utilizando somente frutas de plantações comerciais, e com comprovação da segurança de uso por histórico de consumo pela população. Possíveis efeitos gastrintestinais adversos (associados ao uso de inibidores de alfa-glicosidase) serão avaliados através de questionário específico e acompanhamento dos voluntários nas 24 horas seguintes aos testes. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DONADO-PESTANA, CARLOS M.; BELCHIOR, THIAGO; GENOVESE, MARIA INES. Phenolic compounds from cagaita (Eugenia dysenterica DC.) fruit prevent body weight and fat mass gain induced by a high-fat, high-sucrose diet. Food Research International, v. 77, n. 2, SI, p. 177-185, NOV 2015. Citações Web of Science: 11.
DONADO-PESTANA, CARLOS M.; BELCHIOR, THIAGO; FESTUCCIA, WILLIAM T.; GENOVESE, MARIA INES. Phenolic compounds from cambuci (Campomanesia phaea O. Berg) fruit attenuate glucose intolerance and adipose tissue inflammation induced by a high-fat, high-sucrose diet. Food Research International, v. 69, p. 170-178, MAR 2015. Citações Web of Science: 9.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.