Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução biocultural hominínia do Vale do rio Zarqa, Jordânia: uma abordagem paleoantropológica

Processo: 13/22631-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Arqueologia - Arqueologia Pré-histórica
Pesquisador responsável:Walter Alves Neves
Beneficiário:Walter Alves Neves
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Astolfo Gomes de Mello Araujo ; Fabio Parenti ; Giancarlo Scardia
Assunto(s):Paleoantropologia  Evolução humana  Pleistoceno  Período paleolítico inferior 

Resumo

A evolução hominínia se restringiu à África, entre aproximadamente 7 e 2 milhões de anos. Aparentemente, os primeiros hominínios a deixarem o continente africano pertenciam ao gênero Homo, como atestam as descobertas em Dmanisi, na Georgia, datadas de 1.8 milhões de anos. O Levante deve ter desempenhado um papel importante nessa expansão da África para o Cáucaso. No longo prazo, o objetivo principal deste projeto é mostrar que o Vale do Rio Zarqa foi um importante corredor de expansão do gênero Homo a partir da África em direção à Ásia, inserindo as jazidas pleistocênicas da Jordânia central no debate científico sobre o primeiro povoamento do Velho Mundo. Para os dois primeiros anos, objeto desta solicitação, os objetivos são mais modestos, e podem ser sintetizados da seguinte forma: 1.Intensificação das prospecções geológicas, arqueológicas e paleontológicas no Alto Vale do Rio Zarqa; 2.Caracterização técno-tipológica das industrias pleistocênicas do Alto Vale do Rio Zarqa, com especial ênfase naquelas do Paleolítico Inferior; 3.Estabelecimento de uma cronologia confiável para as distintas ocupações hominínias da margem oriental do rift do Jordão; 4.Prospecções geológicas, arqueológicas e paleontológicas nos Vales Médio e Baixo do Rio Zarca (até o momento praticamente desconhecidos). 5.Instrução e treinamento de alunos brasileiros num ambiente de pesquisa internacional; 6.Inserção do Brasil na restrita e seleta comunidade que desenvolve pesquisas paleoantropológicas no Velho Mundo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Diáspora há 2,5 milhões de anos 
Como divulgar a ciência em tempos difíceis 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Una diáspora de hace 2,5 millones de años 
Achado na Jordânia indica que homem pode ter saído da África 400 mil anos antes do que se pensava 

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SCARDIA, GIANCARLO; NEVES, WALTER A.; TATTERSALL, IAN; BLUMRICH, LUKAS. What kind of hominin first left Africa?. EVOLUTIONARY ANTHROPOLOGY, SEP 2020. Citações Web of Science: 0.
SCARDIA, GIANCARLO; PARENTI, FABIO; MIGGINS, DANIEL P.; GERDES, AXEL; ARAUJO, ASTOLFO G. M.; NEVES, WALTER A. Chronologic constraints on hominin dispersal outside Africa since 2.48 Ma from the Zarqa Valley, Jordan. QUATERNARY SCIENCE REVIEWS, v. 219, p. 1-19, SEP 1 2019. Citações Web of Science: 1.
NEVES, WALTER A.; BERNARDO, DANILO V.; PANTALEONI, IVAN. Morphological affinities of Homo naledi with other Plio-Pleistocene hominins: a phenetic approach. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 89, n. 3, 3, p. 2199-2207, 2017. Citações Web of Science: 2.
WALTER A. NEVES; DANILO V. BERNARDO; IVAN PANTALEONI. Morphological affinities of Homo naledi with other Plio-Pleistocene hominins: a phenetic approach. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 89, n. 3, p. -, 2017.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.