Busca avançada
Ano de início
Entree

Projeto interface: relações entre estrutura da paisagem, processos ecológicos, biodiversidade e serviços ecossistêmicos

Processo: 13/23457-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Temático
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Jean Paul Walter Metzger
Beneficiário:Jean Paul Walter Metzger
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Renata Pardini ; Simone Aparecida Vieira
Pesq. associados:Astrid de Matos Peixoto Kleinert ; Elizabeth Stevens Nichols ; Greet de Coster ; Leandro Reverberi Tambosi ; Maria Uriarte ; Milton Cezar Ribeiro ; Paulo Sergio D' Andrea ; Rodolfo Jaffé Ribbi
Auxílios(s) vinculado(s):17/50015-5 - Linking landscape structure to ecosystem services, AP.R SPRINT
Bolsa(s) vinculada(s):19/00923-8 - Cobertura florestal e pulso temporal de recursos na matriz impulsionando o spillover de inimigos naturais para cafezais, BP.IC
18/22881-2 - Caminhos para a intensificação ecológica através da restauração e da certificação agrícola, BP.DR
18/03330-5 - Serviços ecossistêmicos em paisagens multifuncionais sustentáveis, BE.PQ
+ mais bolsas vinculadas 17/26093-6 - Spillover de aves para cafezais e implicações para o controle de pragas, BP.PD
18/00965-0 - Organização, centralização e gerenciamento de banco de dados espacial e cadastral do Projeto Interface, BP.TT
17/19411-1 - Conservação de abelhas e o serviço de provisão utilizando a perspectiva da paisagem para alcançar uma meta em comum, BP.DR
17/11666-0 - Febre amarela: risco de transmissão em função de alterações do clima e da paisagem, BP.PD
16/06789-3 - Interações entre seres humanos e a fauna silvestre: influência do contexto ecológico sobre a atitude das pessoas em relação a espécies de mamíferos silvestres, BP.MS
15/24802-4 - A influência da estrutura da paisagem sobre a organização de sistemas de polinização e dispersão de sementes, BP.PD
16/06690-7 - Como varia a intenção de preservar a floresta em populações que habitam paisagens com diferentes porcentagens de cobertura florestal remanescente?, BP.MS
14/11676-8 - Quantificando a base mecanicista de serviços ecossistêmicos associados à regulação de doenças em paisagens agrícolas, BP.PD - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Ecologia da paisagem  Mata Atlântica  Biodiversidade  Cobertura do solo  Processos ecológicos e ambientais 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Brazilian_biodiversity...future_h8L3hXp_31_32.pdf

Resumo

Diante do desafio de planejar paisagens multifuncionais sustentáveis para que além das funções produtivas elas mantenham também parte da diversidade biológica original e das funções ecossistêmicas, este projeto pretende investigar como parâmetros da estrutura da paisagem regulam direta ou indiretamente diferentes serviços ecossistêmicos através de processos ecológicos variados. A regulação destes serviços vem sendo estudada em escalas locais, em geral através de manipulações experimentais, ou em escalas muito globais, em estudos baseados em correlações, havendo uma lacuna de conhecimento em escalas intermediárias de paisagem, que permitam aliar o entendimento dos mecanismos reguladores com uma maior precisão no poder de extrapolação espacial. Através da relação de medidas de taxa e estoque de serviços ecossistêmicos de regulação (e.g. polinização, controle de pragas e de doenças, regulação de fluxo hídrico e qualidade de água), provisão (água) e de suporte (estoque de carbono) com parâmetros da estrutura da paisagem (e.g. proporção de habitat nativos na paisagem, proximidade e quantidade de bordas entre fragmentos de vegetação nativa e áreas agrícolas, composição da paisagem), queremos contribuir com o entendimento dos efeitos da perda de habitat sobre os serviços ecossistêmicos, e investigar a existência de limiares e trade-offs nestes serviços. Com um desenho amostral espacialmente explícito, que vincula estas medidas com a amostragem das espécies que promovem esses serviços, aliado a experimentos, poderemos identificar como processos ecológicos que agem no nível da paisagem (e.g. conectividade, efeito de borda, complementação e suplementação de habitat) afetam e controlam a provisão de serviços ecossistêmicos. Ao considerar 35 paisagens em diferentes tipos de matrizes agrícolas (café, pasto, eucalipto), num bioma altamente biodiverso e ameaçado (Mata Atlântica), poderemos avaliar a generalidade dos resultados obtidos, comparando diferentes serviços na mesma matriz ou o mesmo serviço em matrizes distintas. Espera-se que: (i) existam limiares de perda de serviços ecossistêmicos de regulação e suporte ao longo de gradientes de perda de habitat, de forma similar ao que foi observado para a biodiversidade; (ii) esses limiares sejam regidos por uma série de processos ecológicos relacionados ao movimento das espécies que promovem o serviço ecossistêmico, e a mudanças (em geral não-lineares) da configuração da paisagem; (iii) em paisagens com matrizes mais florestais os limiares ocorram mais tarde ao longo do gradiente de perda de habitat. O conjunto destes dados servirá de subsídios a políticas públicas de ordenamento territorial e manutenção de serviços ecossistêmicos em paisagens agrícolas da Mata Atlântica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Ação humana amplia incidência do hantavírus 
FAPESP é parceira do governo estadual na recuperação da Mata Atlântica 
Abelha nativa brasileira é capaz de compensar o declínio de outros polinizadores 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (46 total):
Mais itensMenos itens
Conservation pays its way handsomely 
Conservation pays its way handsomely 
Brasilien: Einheimische Vegetation Billionen wert 
El mantenimiento de la vegetación nativa en el campo brasileño rinde un billón y medio de dólares anuales 
Protecting Native Vegetation On Rural Properties Yields Brazil USD 1.5 Trillion Per Year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting Native Vegetation On Rural Properties Yields Brazil USD 1.5 Trillion Per Year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
Protecting native vegetation on rural properties yields Brazil USD 1.5 trillion per year 
El mantenimiento de la vegetación nativa en el campo brasileño rinde un billón y medio de dólares anuales 
Matas rendem R$ 6 tri/ano 
A importância da vegetação nativa em propriedades rurais 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa na área rural rende ao BR 6t/ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter a vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Preservar matas nativas ‘rende’ R$ 6 trilhões ao ano, alerta estudo 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende R$ 6 trilhões ao ano ao Brasil 
Brasil "recebe" R$ 6 trilhões por ano mantendo flora nativa em áreas rurais 
SUSTENTABILIDADE – Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao BR R$ 6 tri ao ano 
Brasil ganha R$ 6 trilhões/ano com vegetação nativa rural - Jornal O Estado MS 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Brasil “recebe” R$ 6 trilhões por ano mantendo flora nativa em áreas rurais 
Vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 tri ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
6 trilhões ao ano rende preservar a vegetação nativas de propriedades rurais 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Manter vegetação nativa em propriedades rurais rende ao Brasil R$ 6 trilhões ao ano 
Vegetação nativa em reservas legais presta serviços de R$ 6 trilhões 
Vegetação nativa em reservas legais presta serviços de R$ 6 trilhões 
Vegetação nativa protegida em propriedades rurais gera serviços avaliados em R$ 6 tri ao ano 

Publicações científicas (16)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MEDEIROS, HUGO REIS; MARTELLO, FELIPE; ALMEIDA, EDUARDO A. B.; MENGUAL, XIMO; HARPER, KAREN A.; GRANDINETE, YURI CAMPANHOLO; METZGER, JEAN PAUL; RIGHI, CIRO ABBUD; RIBEIRO, MILTON CEZAR. Landscape structure shapes the diversity of beneficial insects in coffee producing landscapes. Biological Conservation, v. 238, OCT 2019. Citações Web of Science: 0.
RUGGIERO, PATRICIA G. C.; METZGER, JEAN PAUL; TAMBOSI, LEANDRO REVERBERI; NICHOLS, ELIZABETH. Payment for ecosystem services programs in the Brazilian Atlantic Forest: Effective but not enough. LAND USE POLICY, v. 82, p. 283-291, MAR 2019. Citações Web of Science: 3.
RIBEIRO, FERNANDO S.; NICHOLS, ELIZABETH; MORATO, RONALDO G.; METZGER, JEAN PAUL; PARDINI, RENATA. Disturbance or propagule pressure? Unravelling the drivers and mapping the intensity of invasion of free-ranging dogs across the Atlantic forest hotspot. DIVERSITY AND DISTRIBUTIONS, v. 25, n. 2, p. 191-204, FEB 2019. Citações Web of Science: 3.
ARISTIZABAL, NATALIA; METZGER, JEAN PAUL. Landscape structure regulates pest control provided by ants in sun coffee farms. JOURNAL OF APPLIED ECOLOGY, v. 56, n. 1, p. 21-30, JAN 2019. Citações Web of Science: 7.
BOESING, ANDREA LARISSA; NICHOLS, ELIZABETH; METZGER, JEAN PAUL. Biodiversity extinction thresholds are modulated by matrix type. ECOGRAPHY, v. 41, n. 9, p. 1520-1533, NOV 2018. Citações Web of Science: 10.
BOESING, ANDREA LARISSA; NICHOLS, ELIZABETH; METZGER, JEAN PAUL. Land use type, forest cover and forest edges modulate avian cross-habitat spillover. JOURNAL OF APPLIED ECOLOGY, v. 55, n. 3, p. 1252-1264, MAY 2018. Citações Web of Science: 7.
D'ALBERTAS, FRANCISCO; COSTA, KARINE; ROMITELLI, ISABELLA; BARBOSA, JOMAR MAGALHAES; VIEIRA, SIMONE APARECIDA; METZGER, JEAN PAUL. Lack of evidence of edge age and additive edge effects on carbon stocks in a tropical forest. FOREST ECOLOGY AND MANAGEMENT, v. 407, p. 57-65, JAN 1 2018. Citações Web of Science: 0.
LIBRAN-EMBID, FELIPE; DE COSTER, GREET; METZGER, JEAN PAUL. Effects of bird and bat exclusion on coffee pest control at multiple spatial scales. LANDSCAPE ECOLOGY, v. 32, n. 9, p. 1907-1920, SEP 2017. Citações Web of Science: 9.
PRIST, PAULA RIBEIRO; DANDREA, PAULO SERGIO; METZGER, JEAN PAUL. Landscape, Climate and Hantavirus Cardiopulmonary Syndrome Outbreaks. ECOHEALTH, v. 14, n. 3, p. 614-629, SEP 2017. Citações Web of Science: 12.
PRIST, PAULA RIBEIRO; URIARTE, MARIA; FERNANDES, KATIA; METZGER, JEAN PAUL. Climate change and sugarcane expansion increase Hantavirus infection risk. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 11, n. 7 JUL 2017. Citações Web of Science: 10.
ROSLIN, TOMAS; HARDWICK, BESS; NOVOTNY, VOJTECH; PETRY, WILLIAM K.; ANDREW, NIGEL R.; ASMUS, ASHLEY; BARRIO, ISABEL C.; BASSET, YVES; BOESING, ANDREA LARISSA; BONEBRAKE, TIMOTHY C.; CAMERON, ERIN K.; DATTILO, WESLEY; DONOSO, DAVID A.; DROZD, PAVEL; GRAY, CLAUDIA L.; HIK, DAVID S.; HILL, SARAH J.; HOPKINS, TAPANI; HUANG, SHUYIN; KOANE, BONNY; LAIRD-HOPKINS, BENITA; LAUKKANEN, LIISA; LEWIS, OWEN T.; MILNE, SOL; MWESIGE, ISAIAH; NAKAMURA, AKIHIRO; NELL, COLLEEN S.; NICHOLS, ELIZABETH; PROKURAT, ALENA; SAM, KATERINA; SCHMIDT, NIELS M.; SLADE, ALISON; SLADE, VICTOR; SUCHANKOVA, ALZBETA; TEDER, TIIT; VAN NOUHUYS, SASKYA; VANDVIK, VIGDIS; WEISSFLOG, ANITA; ZHUKOVICH, VITAL; SLADE, ELEANOR M. Higher predation risk for insect prey at low latitudes and elevations. Science, v. 356, n. 6339, SI, p. 742-744, MAY 19 2017. Citações Web of Science: 98.
BOESING, ANDREA L.; NICHOLS, ELIZABETH; METZGER, JEAN P. Effects of landscape structure on avian-mediated insect pest control services: a review. LANDSCAPE ECOLOGY, v. 32, n. 5, p. 931-944, MAY 2017. Citações Web of Science: 17.
SATURNI, FERNANDA TEIXEIRA; JAFFE, RODOLFO; METZGER, JEAN PAUL. Landscape structure influences bee community and coffee pollination at different spatial scales. AGRICULTURE ECOSYSTEMS & ENVIRONMENT, v. 235, p. 1-12, NOV 1 2016. Citações Web of Science: 10.
PRIST, PAULA RIBEIRO; URIARTE, MARIA; TAMBOSI, LEANDRO REVERBERI; PRADO, AMANDA; PARDINI, RENATA; D'ANDREA, PAULO SERGIO; METZGER, JEAN PAUL. Landscape, Environmental and Social Predictors of Hantavirus Risk in Sao Paulo, Brazil. PLoS One, v. 11, n. 10 OCT 25 2016. Citações Web of Science: 7.
JAFFE, RODOLFO; CASTILLA, ANTONIO; POPE, NATHANIEL; IMPERATRIZ-FONSECA, VERA LUCIA; METZGER, JEAN PAUL; ARIAS, MARIA CRISTINA; JHA, SHALENE. Landscape genetics of a tropical rescue pollinator. CONSERVATION GENETICS, v. 17, n. 2, p. 267-278, APR 2016. Citações Web of Science: 23.
GREGORY, NICHAR; GOMEZ, ANDRES; OLIVEIRA, TRICIA MARIA F. DE S.; NICHOLS, ELIZABETH. Big dung beetles dig deeper: trait-based consequences for faecal parasite transmission. International Journal for Parasitology, v. 45, n. 2-3, p. 101-105, FEB 2015. Citações Web of Science: 16.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.