Busca avançada
Ano de início
Entree

Impact of pharmacist interventions on Drug-Related Problems and laboratory markers in outpatients with Human Immunodeficiency Virus Infection

Processo: 14/07040-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2014 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Priscila Gava Mazzola
Beneficiário:Priscila Gava Mazzola
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Farmácia clínica  Atenção farmacêutica  HIV 

Resumo

Introdução: Os regimes de tratamento para pacientes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) tem se tornado cada vez mais complexos, o que contribui para que esses pacientes geralmente apresentem muitos problemas relacionados a medicamentos (PRM), entre eles: baixa adesão, ineficácia terapêutica e problemas de segurança. Nós avaliamos o impacto das intervenções farmacêuticas na contagem de linfócitos T-CD4+, carga viral de HIV e número de PRMs apresentados por pacientes com HIV.Metodos: Estudo prospectivo controlado, desenvolvido em 18 meses, com 90 pacientes infectados pelo HIV (com ou sem diagnóstico de síndrome da imunodeficiência adquirida - AIDS) atendidos no Hospital Dia - Universidade Estadual de campinas (Brasil). O grupo de pacientes que recebeu intervenções farmacêuticas (grupo intervenção) foi composto por 45 pacientes, enquanto 45 formaram o grupo controle do estudo. O acompanhamento farmacoterapêutico realizado com o grupo intervenção foi baseado no método Pharmacotherapy Workup adaptado para aplicação à realidade do serviço local e às necessidade da pesquisa. Intervenções farmacêuticas foram realizadas imediatamente depois da detecção dos PRMs. Os principais desfechos foram PRMs, contagem de CD4 + linfócitos T e carga viral do HIV.Resultados: Os PRMs diminuíram de 5,2 (IC 95% = 4,1-6,2) para 4,2 (IC95% = 3,3-5,1) por paciente (P = 0,043) após as intervenções farmacêuticas. Foram propostas 122 intervenções farmacêuticas no total, com uma média de 2,7 intervenções por paciente. Todas as intervenções foram aceitas pelos médicos, e entre os pacientes foram bem aceitas durante as consultas, embora o cumprimento das intervenções faracêutico-paciente após as consultas não tenha sido avaliado no estudo. Foi encontrado um aumento estatisticamente significativo na contagem de linfócitos T-CD4 + no grupo intervenção (260,7 [IC95% = 175,8-345,6] para 312,0 [IC95% = 23,5-40,6], P = 0,015), o que não foi observado no grupo controle. Não houve diferença estatística entre os grupos em relação à carga viral do HIV.Conclusão: Este estudo sugere que as intervenções farmacêuticas junto a pacientes infectados pelo HIV podem contribuir para o aumento na contagem de linfócitos T-CD4 + e para a diminuição do número de PRMs apresentados, demonstrando a importância de um plano elaborado de assistência farmacêutica para este grupo de pacientes. (AU)