Busca avançada
Ano de início
Entree

Processo cicatricial em pele sob tratamento com monoterpeno (mentol) e triterpeno (lupeol) em modelos experimentais

Processo: 13/23340-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de maio de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:Claudia Helena Pellizzon
Beneficiário:Claudia Helena Pellizzon
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Ariane Leite Rozza ; Carlos Alberto Hussni
Assunto(s):Cicatrização  Pele  Monoterpenos  Mentol  Triterpenos  Lupeol 

Resumo

A perda da integridade da pele devido a injúrias físicas, químicas ou térmicas resulta na formação de feridas. Em resposta a essas injúrias, inicia-se a cicatrização, um processo dinâmico que reestabelece a função e a integridade do tecido lesado. Tal processo é dividido em três fases sobrepostas: fase inflamatória, cujos principais eventos são a hemostasia e a inflamação, fase proliferativa, na qual há a formação do tecido de granulação, e fase de remodelamento da matriz extracelular. Os terpenos mentol e lupeol apresentam comprovado efeito anti-nociceptivo, anti-inflamatório e antimicrobiano, características importantes para um fármaco cicatrizante. O presente projeto tem por objetivos investigar o potencial cicatrizante do mentol e do lupeol, na forma de pomada, em feridas cutâneas em ratos e cavalos, elucidando seu mecanismo de ação cicatrizante. Para isso, ratos Wistar machos (n=7) serão randomicamente divididos em grupos experimentais: creme base (controle), colagenase (controle positivo), creme de mentol ou lupeol a 2.5%, 5% e 10%. Após anestesia, a ferida será induzida na região dorsal com o auxílio de um punch de 2 cm de diâmetro. Tais lesões serão tratadas e medidas com paquímetro digital uma vez por dia durante 3, 7 ou 21 dias (de acordo com as fases descritas na literatura). Após a eutanásia, a região da ferida será destinada a análises histológicas (contagem de células inflamatórias, escore inflamatório, deposição e morfologia das fibras colágenas), histomorfométricas (medida de altura do epitélio de regeneração, espessura da epiderme, derme e hipoderme) e imunohistoquímicas (fatores de crescimento epidermal e vascular endotelial, proliferação celular, apoptose e citoproteção), além de análises moleculares (qPCR e RT-PCR) para colágeno I e III e fatores de crescimento epidermal e transformante. O fígado dos ratos será destinado a análises de atividade antioxidante (glutationa, glutationas redutase e peroxidase, superóxido dismutase e mieloperoxidase) e o soro sanguíneo será destinado a análises de atividade anti-inflamatória (fator de necrose tumoral, interleucinas pró-inflamatórias IL-1² e IL-6 e anti-inflamatória IL-10). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BESERRA, FERNANDO PEREIRA; VIEIRA, ANA JULIA; SERGIO GUSHIKEN, LUCAS FERNANDO; DE SOUZA, EDUARDO OLIVEIRA; HUSSNI, MARIA FERNANDA; HUSSNI, CARLOS ALBERTO; NOBREGA, RAFAEL HENRIQUE; MONTEIRO MARTINEZ, EMANUEL RICARDO; JACKSON, CHRISTOPHER JOHN; DE AZEVEDO MAIA, GABRIELA LEMOS; ROZZA, ARIANE LEITE; PELLIZZON, CLAUDIA HELENA. Lupeol, a Dietary Triterpene, Enhances Wound Healing in Streptozotocin-Induced Hyperglycemic Rats with Modulatory Effects on Inflammation, Oxidative Stress, and Angiogenesis. OXIDATIVE MEDICINE AND CELLULAR LONGEVITY, 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.