Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da expressão dos transportadores de monocarboxilatos (MCTs) e de seu valor preditivo no comportamento biológico das neoplasias do córtex adrenal em crianças e adultos

Processo: 13/26344-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de maio de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria Cláudia Nogueira Zerbini
Beneficiário:Maria Cláudia Nogueira Zerbini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Adhemar Longatto Filho ; Antonio Marcondes Lerario ; Madson Queiroz Almeida ; Maria Candida Barisson Villares Fragoso
Assunto(s):Proliferação celular  Neoplasias do córtex suprarrenal  Imuno-histoquímica  Transportadores de ácidos monocarboxílicos 

Resumo

A proliferação celular descontrolada é um fator fundamental na patogênese das neoplasias. No processo proliferativo, as células neoplásicas apresentam preferência pela glicólise anaeróbica, mesmo na presença de oxigênio, fenômeno conhecido como "efeito de Warburg" [1]. O metabolismo anaeróbio estimula a conversão de piruvato em ácido lático o que leva a uma redução do pH intracitoplasmático. Para evitar a apoptose celular induzida pela acidez lática, as células neoplásicas desenvolvem mecanismos de defesa, entre os quais se destaca o aumento do transporte do ácido lático para fora da célula. Não por acaso que muitas neoplasias acabam por ter aumentos significativos da expressão dos monocarboxilatos (MCTs. Os transportadores de MCTs estão entre os principais reguladores envolvidos na homeostasia do pH das células neoplásicas. Interessante, observa-se um aumento gradativo da expressão dos MCTs de lesões intra-epiteliais às invasoras. A família dos MCTs possui 14 membros, sendo as isoformas 1, 2, 3 e 4 responsáveis pelo transporte extracelular do ácido lático através da membrana citoplasmática. Recentemente, foi demonstrada a necessidade de duas chaperonas (CD147 e CD44) para que, especialmente as isoformas MCT1 e MCT4 exerçam sua função de transporte de forma eficaz. Nos últimos anos, vários estudos demonstraram hiperexpressão destas chaperonas em diversas neoplasias humanas, conferindo-lhes maior capacidade de crescimento, migração, invasão e angiogênese. Há evidências de que o aumento dos níveis de glicólise e a adaptação à acidose sejam eventos fundamentais na transição das neoplasias in situ para neoplasias invasivas. A imunoexpressão da glicoproteína CD147 apresenta reconhecida relevância biológica como fator prognóstico em diversas neoplasias, provavelmente associada à resistência quimioterápica. Estudos realizados com carcinomas uroteliais, tumores gástricos e intestinais carcinomas da cérvix uterina, mesoteliomas e tumores estromais gastro-intestinais (GISTs)mostraram associação prognóstica significativa com a imunoexpressão de CD147. As neoplasias do córtex da glândula supra-renal têm sido um grande desafio por apresentar um comportamento biológico imprevisível com a utilização dos recursos clássicos da comumente utilizados para a classificação histopatológica das lesões neoplásicas particularmente no grupo etário pediátrico, tornando imperativa a procura de informações alternativas que possa determinar com maior acurácia a possível evolução dos pacientes portadores dessa doença, e consequentemente estabelecer uma estratégia terapêutica correta. Estudos da influência do metabolismo dos ácidos nos complexos tumores do córtex adrenais ainda não foi estudo, até onde sabemos. Dada a grande importância dessas neoplasias particularmente em nosso meio, e o potencial uso dos moderadores moleculares das vias glicolíticas como ferramentas prognósticas e alvos terapêuticos, decidimos investigar o papel dos MCTs e de moléculas associadas em neoplasias do córtex adrenal de crianças e adultos, de comportamentos biológicos sabidamente distintos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PINHEIRO, CELINE; GRANJA, SARA; LONGATTO-FILHO, ADHEMAR; FARIA, ANDRE M.; FRAGOSO, MARIA C. B. V.; LOVISOLO, SILVANA M.; BONATELLI, MURILO; COSTA, RICARDO F. A.; LERARIO, ANTONIO M.; ALMEIDA, MADSON Q.; BALTAZAR, FATIMA; ZERBINI, MARIA C. N. GLUT1 expression in pediatric adrenocortical tumors: a promising candidate to predict clinical behavior. ONCOTARGET, v. 8, n. 38, p. 63835-63845, SEP 8 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.