Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação entre as infecções por Haemonchus contortus e Haemonchus placei em ovinos

Resumo

O presente estudo terá por objetivo avaliar a dinâmica da infecção simultânea por Haemonchus contortus e Haemonchus placei em ovinos, com ênfase na avaliação da competição ou do cruzamento entre as duas espécies. O estudo também visa à padronização de técnicas moleculares para a identificação das espécies de H. contortus e H. placei e de seus híbridos, bem como da mutação no gene da resistência ao albendazol (códon 200 do gene da Beta-tubulina). No primeiro experimento, animais do grupo 1 (n=6) serão infectados com 2000 larvas infectantes (L3) de H. placei e 11 dias depois, com 2000 L3 de H. contortus. Coproculturas serão realizadas com amostras fecais de cada um dos animais do grupo 1 para a produção de L3, as quais serão destinadas à infecção dos animais do grupo 2 (n=12), o que permitirá avaliar se houve a produção de híbridos capazes de infectar cordeiros. Todos os animais dos grupos 1 e 2 serão sacrificados para quantificação e identificação dos parasitas a fim de determinar se houve competição entre as espécies, bem como formação de híbridos. Animais livres de infecção (n=6) serão mantidos como grupo controle. No segundo experimento, um grupo de 32 cordeiros livres de parasitas será infectado com H. placei (n=16) e com H. contortus (n=16). Depois de infectados, os animais serão mantidos em pastagem, inicialmente livre de contaminação, que com o decorrer do tempo será contaminada pelos ovos e larvas oriundos dos animais experimentais, denominados permanentes. Com isso, estes animais estarão expostos a infecções naturais ao longo do tempo. Além do sacrifício periódico de animais permanentes, cordeiros traçadores serão introduzidos no piquete periodicamente, até o final do experimento, com o objetivo de avaliar a real contaminação da pastagem (dinâmica da infecção) com cada uma das espécies de Haemonchus e a eventual presença de híbridos. Estes animais traçadores serão imunosuprimidos a fim minimizar a resposta imune. Análises morfométricas e moleculares serão empregadas com o objetivo de identificar com precisão os exemplares das duas espécies e os híbridos. Técnicas moleculares serão testadas para a adequada identificação das espécies e da eventual produção de híbridos, bem como da ocorrência de fluxo gênico entre as espécies, especialmente dos genes que conferem resistência ao albendazol. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DOS SANTOS, MICHELLE C.; AMARANTE, V, MONICA R.; AMARANTE, ALESSANDRO F. T. Is there competition between Haemonchus contortus and Haemonchus placei in a pasture grazed by only sheep?. Veterinary Parasitology, v. 279, MAR 2020. Citações Web of Science: 1.
SANTOS, M. C.; AMARANTE, V, M. R.; AMARANTE, A. F. T. Establishment of co-infection and hybridization of Haemonchus contortus and Haemonchus placei in sheep. JOURNAL OF HELMINTHOLOGY, v. 93, n. 6, p. 697-703, NOV 2019. Citações Web of Science: 0.
AMARANTE, M. R. V.; SANTOS, M. C.; BASSETTO, C. C.; AMARANTE, A. F. T. PCR primers for straightforward differentiation of Haemonchus contortus, Haemonchus placei and their hybrids. JOURNAL OF HELMINTHOLOGY, v. 91, n. 6, p. 757-761, NOV 2017. Citações Web of Science: 6.
SANTOS, MICHELLE C.; REDMAN, ELIZABETH; AMARANTE, MONICA R. V.; GILLEARD, JOHN S.; AMARANTE, ALESSANDRO F. T. A panel of microsatellite markers to discriminate and study interactions between Haemonchus contortus and Haemonchus placei. Veterinary Parasitology, v. 244, p. 71-75, SEP 15 2017. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.