Busca avançada
Ano de início
Entree

Incidência e topografia das infecções hospitalares em idosos pós-acidente vascular cerebral e seu impacto no tempo de permanência hospitalar e na mortalidade

Processo: 13/15895-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Lucieni de Oliveira Conterno
Beneficiário:Lucieni de Oliveira Conterno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). Marília , SP, Brasil
Pesq. associados: Rodrigo Wanderley Neves Barbosa ; Werner Garcia de Souza
Bolsa(s) vinculada(s):15/10588-0 - Epidemiologia e topografia das infecções em idosos pós acidente vascular cerebral e seu impacto no tempo de permanência hospitalar e na evolução, BP.TT
Assunto(s):Acidente vascular cerebral  Infecção hospitalar  Antibióticos  Incidência  Mortalidade  Prognóstico  Idosos 

Resumo

O aumento da população idosa é um fenômeno mundial, acarretando mudanças econômicas, sociais e para o setor da saúde. Nota-se uma associação direta entre a melhora na expectativa de vida e o aparecimento de doenças crônicas não transmissíveis, sendo o acidente vascular cerebral (AVC) a segunda maior causa de mortalidade, e a principal causa de incapacidade no mundo. O Brasil é o 6º país com maior taxa de mortalidade por AVC e o primeiro da América Latina. Alguns fatores como infecção adquirida pós-avc estão associadas a pior prognóstico. O objetivo deste estudo é caracterizar a população idosa internada com diagnóstico de AVC agudo, determinar a incidência das principais infecções hospitalares por topografia, o impacto destas infecções na evolução, no consumo de antibióticos e no tempo de permanência hospitalar. Será realizado um estudo de coorte prospectivo que incluirá todos os pacientes com diagnóstico de AVC agudo internados nas Unidades de Tratamento Intensivo e enfermarias de Clínica Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Marília, durante o período de 10 meses. Estima-se que serão avaliados 100 pacientes. Será utilizado instrumento padronizado de coleta de dados. Estes idosos serão acompanhados desde a sua internação ate óbito ou alta. Será realizada análise descritiva e inferencial dos dados. Existem poucos estudos semelhantes a este no Brasil. Espera-se que os resultados ajudem a determinar o risco de infecções entre os pacientes idosos internados com diagnóstico de AVC em um hospital de ensino publico e subsidie medidas de prevenção e controle para diminuir sua ocorrência e os impactos na mortalidade e nos custos hospitalares para o SUS. (AU)