Busca avançada
Ano de início
Entree

História do ensino de leitura e escrita: métodos e material didático

Processo: 14/05860-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Fundamentos da Educação
Pesquisador responsável:Maria do Rosário Longo Mortatti
Beneficiário:Maria do Rosário Longo Mortatti
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):História da educação  Alfabetização  Material didático  Leitura  Escrita 

Resumo

Neste livro, estão reunidos textos de convidados oficiais do II SIHELE - Seminário Internacional sobre História do Ensino de Leitura e Escrita "Métodos e material didático na história do ensino inicial de leitura e escrita no Brasil" (11 e 12/07/2013), antecedido do I CONBAlf - Congresso Brasileiro de Alfabetização "Os sentidos da alfabetização no Brasil: o que sabemos, o que fazemos e o que queremos?" (08 a 10/07/2013). Ambos foram promovidos pela ABAlf - Associação Brasileira de Alfabetização, com auxílio financeiro da ABAlf, FAPESP e FAPEMIG e realizados na FaE/UFMG, em homenagem à Presidente de Honra da ABAlf, Magda Soares. O I SIHELE, com o tema "A constituição do campo da história da alfabetização no Brasil" (aux. FAPESP e UNESP), foi realizado em 2010, na UNESP - Universidade Estadual Paulista - campus de Marília, promovido pelo GPHELLB - Grupo de Pesquisa "História do Ensino de Língua e Literatura no Brasil" - e Programa de Pós-Graduação em Educação. Dentre os principais resultados daquele evento, destacam-se: a aprovação da proposta de criação da ABAlf, formalizada em Assembleia de 18/07/2012 (www.abalf.org.br); e a publicação do livro Alfabetização no Brasil: uma história de sua história (Cultura Acadêmica; Oficina Universitária, 2011) - 1º lugar na categoria "Educação" - 54º Prêmio Jabuti - 2012.E, em continuidade à avaliação diagnóstica e prospectiva relativamente à produção acadêmico-científica das últimas décadas no campo da história da alfabetização no Brasil, o II SIHELE tematizou especificamente a história do ensino de leitura e escrita, do ponto de vista de métodos e material didático, tendo reunido: pesquisadores de diferentes programas de pós-graduação e grupos de pesquisa, alfabetizadores e gestores da Educação Básica, representantes de órgãos governamentais, associações científicas e organizações não governamentais. As principais contribuições do evento estão reunidas neste livro. Situando a discussão no âmbito da produção historiográfica internacional, Roger Chartier formula as questões centrais sobre a historiografia da leitura, em texto que reproduz sua conferência de abertura do evento; e Circe Fernandes Bittencourt sintetiza a trajetória do professor e pesquisador francês, Alain Choppin, em texto de homenagem póstuma. Enfocando mais especificamente o contexto brasileiro, por vezes em perspectiva comparada, têm-se os textos de palestrantes e debatedores nas mesas redondas: Mirian Jorge Warde, Eliane Peres, Norma Sandra de Almeida Ferreira, Maria Helena Câmara Bastos, Ana Chrystina Mignot, Maria Teresa Santos Cunha, Maria do Rosário Longo Mortatti, Cancionila Janzkovski Cardoso, Estela Natalina Mantovani Bertoletti, Isabel Cristina Alves da Silva Frade, Márcia de Paula Gregório Razzini e Kazumi Munakata. Nos capítulos desses pesquisadores, são abordados diferentes aspectos da produção e circulação, no Brasil, entre final do século XIX e segunda metade do século XX, de métodos e material didático (cartilhas, livros de leitura, manuais de ensino, cadernos escolares, legislação educacional e sobre livro didático) para ensino da leitura e escrita. O que aqui se apresenta, portanto, é resultado de discussão sistemática dos principais problemas e perspectivas da produção acadêmico-científica brasileira sobre história do ensino da leitura e escrita, em suas relações com a produção internacional. Essa discussão contribui, ainda, para problematizar a tensão entre permanências e rupturas que caracterizam as relações entre o passado, o presente e o futuro do ensino de leitura e escrita no Brasil, articuladamente aos desafios políticos, sociais, culturais e educacionais deste momento histórico. Esse é também o objetivo deste livro. (AU)