Busca avançada
Ano de início
Entree

Vulnerabilidade de pais e irmãos de crianças com transtorno do espectro do autismo: caracterização do vínculo e avaliação de um modelo piloto de intervenção

Processo: 13/25332-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2014 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Pesquisador responsável:Rogerio Lerner
Beneficiário:Rogerio Lerner
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):15/21063-6 - Vulnerabilidade de país e irmãos de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo: caracterização do vínculo e avaliação de um modelo piloto de intervenção, BP.TT
15/18318-2 - Vulnerabilidade de país e irmãos de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo: caracterização do vínculo e avaliação de um modelo piloto de intervenção, BP.TT
14/18270-7 - Vulnerabilidade de país e irmãos de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo: caracterização do vínculo e avaliação de um modelo piloto de intervenção, BP.TT
14/17023-6 - Vulnerabilidade de pais e irmãos de crianças com transtorno do espectro do autismo: caracterização do vínculo e avaliação de um modelo piloto de intervenção, BP.TT
Assunto(s):Psicanálise  Parentalidade  Transtornos mentais diagnosticados na infância  Transtorno autístico  Psicodiagnóstico interventivo  Sinais e sintomas  Relações pais-criança 

Resumo

Irmãos de crianças com diagnóstico de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) são grupo com risco a problemas do desenvolvimento. Pais de crianças com TEA apresentam maior prevalência de sintomas depressivos, ansiosos e de estresse do que pais de crianças sem este diagnóstico. Esta pesquisa tem dois objetivos principais: a) investigar condições de saúde mental e de estresse de pais de crianças com TEA, aspectos da sua interação com outro filho bebê e elementos do desenvolvimento do bebê e b) avaliar modelo piloto de intervenção de promoção de melhores condições de desenvolvimento e interação entre pais e irmãos bebês de crianças com TEA. Estrutura-se em duas etapas: 1. Estudo de caso-controle, no qual 60 pais de autistas com bebê até 18 meses (grupo caso) serão avaliados quanto a Transtorno Mental Comum, estresse e apoio social, interação com seu filho bebê e condições de desenvolvimento do bebê. Seus resultados serão comparados com o de 30 pais de crianças sem TEA e com um bebê de mesma faixa etária (até 18 meses) (grupo controle). 2. Ensaio clínico, no qual 30 díades do grupo caso da etapa 1 participarão de intervenção, baseada em teorias e técnicas psicanalíticas, ao longo de 12 sessões. Os resultados serão comparados com o de 30 díades do grupo caso da etapa 1 que não participarão da intervenção. Os pais serão avaliados antes e após a intervenção, quanto à presença de sintomas depressivos, ansiosos e de estresse, e quanto à qualidade do vínculo com o bebê. Os bebês serão avaliados quanto ao retraimento, presença de TEA e risco psíquico. A intervenção será feita nos serviços onde a criança com TEA é atendida, a fim de proporcionar a formação de competências e alianças estratégicas junto aos mesmos, incentivando a difusão do conhecimento por meio da implementação de projeto de pesquisa aplicada. Esta pesquisa se insere no âmbito do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Neurodesenvolvimento e Saúde Mental da USP. A FAPESP financia parte deste projeto por meio de uma bolsa de pós-doutoramento (processo nº 2013/03676-5). O presente pedido de apoio à pesquisa refere-se ao complemento de verba para contratação de pesquisadores, estatístico e digitador, além de recursos para transporte. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.