Busca avançada
Ano de início
Entree

Questões sobre a ética e a inocência do método

Processo: 14/01059-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Pesquisador responsável:Rodolfo Franco Puttini
Beneficiário:Rodolfo Franco Puttini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Metodologia científica  Ética em pesquisa  Conhecimento  Epistemologia  Ciências sociais  Ciências humanas 

Resumo

Este manuscrito apresenta as quatro conferências realizadas por ocasião do "II Seminário de Ciências Humanas e Sociais no campo da Saúde" em que debateram sobre impasses entre o método científico e os juízos normativos. Sob o tema "Questões sobre a ética e a inocência do método", indagamos sobre a pertinência do ethos da ciência hoje, com destaque para as gestões do corpo. A ciência moderna, resultado de novas relações do homem com o mundo, definiu maneiras lícitas de conhecimento, ancorados no privilégio epistemológico do conhecimento da Natureza, que lhe confere autoridade sobre outros saberes nas definições da verdade e erro. Sujeito cognoscente e realidade, observador e observado, constituídos por múltiplas exclusões, são concebidos como entidades autônomas e inocentes e como fundamento da racionalidade científica.Esse modelo incide sobre a ciência médica; carrega consigo modos de excluir dimensões superorgânicas da experiência com a saúde e com a doença, afastando as Ciências Humanas e as Ciências Sociais das suas próprias competências sobre o corpo. Porém, o campo da saúde é complexo e carregado de contradições éticas e epistemológicas. Nucleado pelas Ciências Médicas, as disciplinas das ciências da saúde - como a Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Fonoaudiologia, Educação Física - elas lutam por seus domínios teóricos e práticos, figuram por disciplinas hierárquicas e competências de intervenção periférica para a educação dos corpos humanos. A questão é também contaminada de desafios éticos, que estimulam posições contra-hegemônicas. Nesse contexto, as consciências clamam pelas Humanidades. Enfim, os autores dos artigos desta coletânea aceitaram a provocação proposta pelos organizadores do evento e também responsáveis por esta publicação. (AU)