Busca avançada
Ano de início
Entree

Percepção melódica produtiva e receptiva: avaliação e validação de critérios

Processo: 14/03322-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Música
Pesquisador responsável:Graziela Bortz
Beneficiário:Graziela Bortz
Instituição-sede: Instituto de Artes (IA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Hugo Cogo Moreira
Bolsa(s) vinculada(s):16/06868-0 - Percepção melódica produtiva e receptiva: avaliação e validação de critérios, BP.TT
15/21655-0 - Percepção melódica produtiva e receptiva: avaliação e validação de critérios, BP.TT
15/21871-5 - Percepção melódica produtiva e receptiva: avaliação e validação de critérios, BP.TT
Assunto(s):Percepção musical  Solfejo  Cognição musical  Melodia  Intervalo (música) 

Resumo

O fato de padrões escalares predominarem em tantas culturas têm intrigado músicos e cientistas, o que conduziu à realização de testes com relação à percepção intervalar de indivíduos. Em música, a capacidade de categorizar intervalos é considerada crucial para o desenvolvimento do conhecimento teórico e das habilidades de um músico. É necessário que o músico seja capaz de diferenciar os intervalos chamados maiores, menores, diminutos, aumentados e justos de acordo com as escalas diatônicas. Essa capacidade não é restrita ao campo teórico. Músicos são treinados a diferenciar os vários intervalos da escala e suas inversões auditivamente. No entanto, para Covington e Lord (1994) o fato de um estudante ser capaz, por exemplo, de decodificar um intervalo de trítono isolado não significa que ele automaticamente desenvolva a capacidade de diferenciar esse mesmo intervalo em contextos musicais variados. A despeito da necessidade de experimentos para avaliar a efetividade do treinamento em reconhecer intervalos, inexistem testes validados que possam esclarecer se há relação entre a percepção de intervalos melódicos e a percepção da melodia como Gestalt. Dessa forma, poucas evidências podem ser estabelecidas no que tange à relação entre o treino musical cujo propósito é o de se produzir intervalos melódicos cantados de memória e a capacidade de se solfejar uma melodia desconhecida. Dito de outra forma, não se tem disponível no mercado um instrumento (teste/escala) que permita mensurar o quão bem tal habilidade de percepção se comporta. Este projeto visa avaliar a dificuldade e discriminação de cada um dos itens das seguintes avaliações de percepção para músicos: uma receptiva e outra produtiva; e avaliar e validar a concordância dos critérios para a avaliação produtiva. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BORTZ, GRAZIELA; GERMANO, NAYANA G.; COGO-MOREIRA, HUGO. (Dis)agreement on Sight-Singing Assessment of Undergraduate Musicians. FRONTIERS IN PSYCHOLOGY, v. 9, MAY 29 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.