Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação e validação de biomarcadores na doença do enxerto contra o hospedeiro crônica em pacientes submetidos ao transplante alogênico de células-tronco hematopoiéticas

Resumo

O Transplante de Células-Tronco Hematopoiéticas (TCTH) alogênico é a um método terapêutico eficaz para a cura de diversas doenças. Embora o TCTH alogênico proporcione efeitos benéficos, como a ação das células enxertadas atuando contra as células tumorais, fato este conhecido como enxerto-contra-tumor, a doença do enxerto contra o hospedeiro (DECH) é considerada como a principal complicação e causa de morbidade e mortalidade pós-transplante. A DECH pode ser classificada como aguda ou crônica, e o seu diagnóstico é tipicamente baseado em parâmetros clínicos e histológicos apresentados nos principais órgãos-alvo. Na forma aguda da DECH (DECHa), os principais órgãos envolvidos são a pele, o fígado, e o sistema gastrointestinal. Na forma crônica da DECH (DECHc), a pele, o trato gastrointestinal, fígado, pulmão e boca são frequentemente envolvidos no diagnóstico da doença. As atuais ferramentas de diagnóstico e estadiamento disponíveis de DECH não conseguem identificar pacientes com maior risco de progressão da mesma, aqueles que possam ser resistentes à terapia, ou os que apresentam um maior risco de morte. Além disso, existe dificuldade de identificação precoce da DECH antes mesmo do desenvolvimento dos sinais clínicos. Essa dificuldade indica a necessidade urgente de exames laboratoriais que sejam idealmente não-invasivos e confiáveis, atuando como importante ferramenta diagnóstica para esse grupo de pacientes. A saliva contém muitos componentes da resposta imune adaptativa e inata do hospedeiro. Mudanças nos constituintes salivares podem refletir processos sistêmicos, como a reconstituição imune e desenvolvimento de DECH, que ocorrem após o TCTH. Este é um projeto em andamento, que possui como objetivo a descoberta e validação de um painel de proteínas salivares candidatas a biomarcadores para a DECHc descobertas previamente através de análise proteômica da saliva de pacientes pós-TCTH alogênico. Amostras de saliva de 20 pacientes submetidos ao TCTH alogênico foram coletadas prospectivamente antes do início do regime de condicionamento (pré-transplante), no dia D+8 e no dia D+100 pós-transplante. Uma amostra extra de saliva foi coletada no momento do diagnóstico da DECHc, feito até o dia D+100 pós-TCTH. Os pacientes foram divididos em dois grupos: com DECHc (n =5) e não-DECHc (n =15). Através da análise por espectrometria de massas, um painel de 60 proteínas salivares foi identificado. A análise estatística, valendo-se de uma razão entre esses dois grupos (com e sem DECHc), resultou em uma expressão aumentada de quatro proteínas comumente observadas em pacientes com DECHc (Lactoferroxin -B; Cystatin -SA; Cystatin -S e protein S100-A9). Outras duas proteínas (Lipocalin-1 e Isoform 1 of Delete in Malignant Brain Tumors 1 protein) foram escolhidas com base nos resultados do teste t-Student aplicado em cada tempo de coleta. O estudo de validação do painel de proteínas salivares selecionadas para a DECHc será realizado pelo teste de Ensyme Linked Immuno Sorbent Assay (ELISA). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)