Busca avançada
Ano de início
Entree

Linguagem e cognição em interação: o papel dos frames na organização do tópico discursivo em conversações do Centro de Convivência de Afásicos (CCA - Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP)

Processo: 14/05850-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Edwiges Maria Morato
Beneficiário:Edwiges Maria Morato
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Ingedore Grunfeld Villaça Koch
Assunto(s):Afasia  Conversação  Linguística textual 

Resumo

As práticas linguísticas e interacionais podem ser vistas como um lócus de grande importância para a observação de uma relação mutuamente constitutiva entre conceptualização e interação. Esta é a premissa sociocognitiva, de cunho interacionista, que sustenta o presente projeto de pesquisa, dedicado à análise do papel de frames semânticos e interacionais na organização do tópico discursivo em conversações desenvolvidas em meio a práticas interacionais cotidianas entre afásicos e não afásicos que frequentam o Centro de Convivência de Afásicos (CCA) , da UNICAMP. Considera-se aqui a hipótese de que os enquadres cognitivos por meio dos quais compreendemos e organizamos nossas experiências no mundo - como os frames - por suas propriedades intersubjetivas e perspectivais (cf. TOMASELLO, 2003 [1999]), atuam de forma importante na organização e gestão de interações conversacionais.Entre as contribuições do presente projeto de pesquisa a uma temática importante da agenda dos estudos textuais e conversacionais - a cognição em interação - cumpre destacar: i) a sustentação teórica e empírica da relação de mútua constitutividade entre linguagem e cognição por meio da análise do papel de frames no contexto do discurso cotidiano, notadamente no desenvolvimento e gestão do tópico; ii) a sustentação empírica da rediscussão do escopo do termo afasia enquanto perda da metalinguagem stricto sensu (isto é, relativa apenas ao sistema linguístico); iii) o estabelecimento de critérios metodológicos de análise de dados linguístico-interacionais, de caráter multimodal, no campo da Afasiologia. (AU)