Busca avançada
Ano de início
Entree

"Quando um muro separa, uma ponte une": conexões transnacionais na canção engajada na América Latina (anos 1960-70)

Processo: 14/04946-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História da América
Pesquisador responsável:Maria Helena Rolim Capelato
Beneficiário:Maria Helena Rolim Capelato
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):América Latina  Cultura (sociologia)  Política e governo  Artistas 

Resumo

O objetivo desta pesquisa é analisar como, ao longo das décadas de 1960 e 70, artistas ligados à canção engajada conceberam projetos de integração da América Latina por meio da canção, e como esses projetos resultaram no estabelecimento de uma série de "conexões transnacionais". Neste período, os impactos da Guerra Fria tiveram como consequência um contexto político fortemente polarizado, o que afetou diretamente o campo cultural e, especialmente, o campo artístico. As experiências políticas comuns favoreceram as trocas de ideias e a intensa circulação de artistas por todo o continente, permitindo o estabelecimento de uma série de contatos e diálogos. Utilizando como fonte principal a discografia dos mais destacados artistas de cada país, o objetivo á analisar essa história de "conexões transnacionais" na canção engajada latino-americana focalizando três fases distintas: a) a primeira, entre 1963 e 1966, momento de formação e consolidação dos movimentos de nueva canción no Cone Sul, em que o engajamento se manifestou fundamentalmente por meio da crítica social; b) a segunda, entre 1967 e 1969, marcada pelos impactos do I Encuentro de la Canción Protesta, realizado em Cuba, que resultou no destaque de dois temas importantes: a revolução e o anti-imperialismo; c) a terceira, que compreende a década de 1970, período marcado pela radicalização dos discursos políticos, pela intensificação das conexões e também pelas tentativas de inserção dos artistas brasileiros nos circuitos da canção engajada latino-americana. (AU)