Busca avançada
Ano de início
Entree

Relações entre resposta inflamatória aguda e a susceptibilidade a infecções respiratórias por Streptococcus pneumoniae em modelos animais

Processo: 14/11087-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Leonor Sarno de Oliveira
Beneficiário:Maria Leonor Sarno de Oliveira
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Infecções respiratórias  Streptococcus pneumoniae  Resposta inflamatória  Modelos animais 

Resumo

Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é responsável por doenças que causam a morte de cerca de 1 milhão de crianças menores de 5 anos, a cada ano, no mundo todo. Comumente, a bactéria coloniza o trato respiratório superior de indivíduos saudáveis estabelecendo uma relação comensal com o hospedeiro. A transmissão entre indivíduos ocorre a partir deste sítio. Ocasionalmente, o pneumococo pode invadir sítios normalmente estéreis causando doenças como pneumonia, septicemia, meningite, otite média e sinusite. A colonização precede as doenças invasivas, que podem ocorrer em situações específicas, como, por exemplo, baixa imunidade. Além disso, o pneumococo expressa diferentes fatores de virulência, que atuam promovendo a adesão da bactéria a células do hospedeiro ou a evasão do sistema imune. Entre os grupos de risco para as doenças pneumocócicas, se encontram crianças abaixo de 5 anos de idade e idosos. Dados epidemiológicos indicam ainda que portadores de doenças como asma, diabetes, doenças cardíacas, entre outras, podem ter risco aumentado para doenças causadas por pneumococo. Alguns modelos animais servem para o estudo dos mecanismos de patogenicidade do pneumococo, interação patógeno-hospedeiro ou, ainda, para o estudo de novas vacinas. Em nosso laboratório, foram estabelecidos modelos de colonização nasal e de infecção respiratória invasiva em camundongos, com diferentes linhagens de pneumococo, que servem a estes propósitos. Dados da literatura e do nosso grupo sugerem que a inflamação tecidual pode ter um papel importante na progressão da infecção por pneumococo em modelos animais. Enquanto uma resposta inflamatória controlada parece ser definitiva para o controle da bactéria, a inflamação exacerbada parece, muitas vezes, contribuir para o agravamento. No presente projeto, propomos estudar os efeitos da resposta inflamatória aguda nos modelos de infecção respiratória por Streptococcus pneumoniae em camundongos. Para tanto, os modelos serão avaliados em camundongos das linhagens AIRmax e AIRmin, selecionados geneticamente para resposta inflamatória aguda exacerbada e baixa, respectivamente. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MANCUSO, RUBIA I.; MIYAJI, ELIANE N.; SILVA, CRISTIANE C. F.; PORTARO, FERNANDA V.; SOARES-SCHANOSKI, ALESSANDRA; RIBEIRO, ORLANDO G.; OLIVEIRA, MARIA LEONOR S. Impaired expression of CXCL5 and matrix metalloproteinases in the lungs of mice with high susceptibility to Streptococcus pneumoniae infection. IMMUNITY INFLAMMATION AND DISEASE, v. 6, n. 1, p. 128-142, MAR 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.