Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelos alternativos à experimentação animal para a avaliação do potencial fotossensibilizante de filtros solares

Processo: 14/05491-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Lorena Rigo Gaspar Cordeiro
Beneficiário:Lorena Rigo Gaspar Cordeiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Silvya Stuchi Maria-Engler
Assunto(s):Cosméticos  Protetores solares  Fármacos fotossensibilizantes  Fotodegradação  Fototoxicidade 

Resumo

As dermatites de contato são consideradas doenças complexas que já atingem de 15 a 20 % da população, em algum momento da vida, sendo que o número casos têm aumentado a cada dia. Alguns ingredientes cosméticos representam maior risco para o desenvolvimento de alergias de contato, dentre eles, fragrâncias, conservantes e corantes capilares. Além disso, ativos naturais e filtros solares também representam um risco crescente de desenvolvimento de alergia cutânea. Os métodos mais empregados para avaliar a sensibilização cutânea ainda utilizam animais de experimentação, como o LLNA - Ensaio do Linfonodo Local Murino. Entretanto, apesar de alguns métodos alternativos ao uso animal para avaliação da sensibilização cutânea estarem em processo de validação internacional, não há estudos in vitro validados que diferenciem substâncias fotossensibilizantes das sensibilizantes ou fototóxicas. Assim, o presente projeto tem como objetivo propor uma estratégia para avaliar o potencial fotossensibilizante de filtros solares por meio de métodos in vitro. Para tal, inicialmente será utilizado o estudo de depleção de peptídeos (cisteína e lisina), submetidos ou não à radiação UV, para a predição do potencial fotossensibilizante de diferentes filtros solares. A seguir, será realizado o estudo in vitro em células dendríticas, expostas aos filtros solares e submetidas ou não à radiação UV, para análise da diferença da expressão gênica e dos perfis de transdução de sinais intracelulares dos filtros solares em estudo. Posteriormente, as substâncias serão submetidas ao estudo em modelo de pele tridimensional em espessura total, submetido ou não à radiação UV, para a elaboração de uma estratégia para avaliar e diferenciar o potencial fotossensibilizante do fototóxico e sensibilizante, dos diferentes filtros solares. Para tal, serão realizados estudos para a determinação da viabilidade celular, análise histológica, da liberação de IL-1 alfa, IL-6, IL-8 e IL-18 e da quantificação de produtos de fotodegradação dos filtros solares. Serão, ainda, utilizados diferentes controles positivos e negativos fototóxicos, fotossensibilizantes e sensibilizantes para a diferenciação das três categorias pelos métodos propostos. (AU)

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

Solicitação em análise e dentro do prazo legal de sigilo previsto na legislação BR1020180687638 - Universidade de São Paulo (USP) . Solicitação em análise e dentro do prazo legal de sigilo previsto na legislação - 14 de setembro de 2018