Busca avançada
Ano de início
Entree

Contribuição ao desenvolvimento de antidepressivos

Processo: 13/18897-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Lanfranco Ranieri Paolo Troncone
Beneficiário:Lanfranco Ranieri Paolo Troncone
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Cristoforo Scavone ; João Paulo dos Santos Fernandes
Assunto(s):Psicofarmacologia  Antidepressivos  Manifestações neurocomportamentais  Anedonia  Receptores de serotonina  Quinazolinas  Modelos animais 

Resumo

A depressão é um distúrbio psiquiátrico incapacitante e de dificil tratamento tornando o desenvolvimento de novos agentes terapêuticos uma prioridade para a grande indústria farmacêutica e para a química farmacêutica acadêmica. Neste projeto de pesquisa investigaremos os efeitos neuroquímicos de diversas novas entidades moleculares (arilsulfoniltriptaminas, quinazolinas e benzodiidrofuranos), algumas com dados preliminares de atividade antidepressiva, e outros sem perfil definido, desenvolvidas por três colaboradores associados a este projeto, sendo dois pertencentes a Virginia Commonwealth University e um da UNIFESP-Diadema. Serão investigados os efeitos sobre a captação e liberação de serotonina por tecido cerebral de ratos in vitro e a capacidade de ligação (binding) a receptores de serotonina 5HT2c, 5HT3 e 5HT6, assim como histamina. Serão empregados testes comportamentais tradicionais como o teste do nado forçado em ratos (Porsolt), para uma avaliação preliminar ou complementar. De modo complementar, em vista da crescente insatisfação com os modelos animais usuais de avaliação de antidepressivos, procederemos a uma investigação sobre o modelo da anedonia causada por estresse moderado crônico. Segundo este modelo, o estresse leva a anedonia, medida pela preferência a ingestão de sacarose, em ratos, que é revertida pela administração de antidepressivos. No entanto, nota-se certa irregularidade quanto aos sucesso no desenvolvimento da anedonia que nós propomos estar relacionada aos tipos de estresse empregados para sua indução, sendo estes de natureza física ou processiva de modo indiscriminado. Pretendemos investigar especificamente se estes dois tipos de estresses causam anedonia de modo diferente. Esta definição pode levar a propositura de um modelo mais seguro para a avaliação do potencial antidepressivo de novas drogas, representando enorme economia e eficiência no desenvolvimento de novos fármacos. Ainda, o mapeamento de circuitos cerebrais envolvidos na anedonia, comparados com os de pacientes deprimidos, pode oferecer pistas para uma compreensão melhor das bases neuronais desta doença. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CORREA, MICHELLE FIDELIS; VARELA, MARINA THEMOTEO; BALBINO, ALEKSANDRO MARTINS; TORRECILHAS, ANA CLAUDIA; LANDGRAF, RICHARDT GAMA; PAOLO TRONCONE, LANFRANCO RANIERI; DOS SANTOS FERNANDES, JOAO PAULO. 1-[(2,3-Dihydro-1-benzofuran-2-yl) methyl]piperazines as novel anti-inflammatory compounds: Synthesis and evaluation on H3R/H4R. CHEMICAL BIOLOGY & DRUG DESIGN, v. 90, n. 2, p. 317-322, AUG 2017. Citações Web of Science: 3.
RAMOS, ADRIANA T.; TUFIK, SERGIO; TRONCONE, LANFRANCO R. P. Control of Stress-Induced ACTH Secretion by Vasopressin and CRH: Additional Evidence. NEUROPSYCHOBIOLOGY, v. 73, n. 3, p. 184-190, 2016. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.