Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento floral de espécies do clado urticoide

Processo: 14/07453-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Simone de Pádua Teixeira
Beneficiário:Simone de Pádua Teixeira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados: Finn Pierre Kjellberg ; Rodrigo Augusto Santinelo Pereira ; Vidal de Freitas Mansano
Bolsa(s) vinculada(s):15/14718-6 - Técnicas para estudo de desenvolvimento floral, BP.TT
14/18993-9 - Técnicas para estudo de desenvolvimento floral, BP.TT
Assunto(s):Anatomia vegetal  Ontogenia  Cannabaceae  Urticaceae  Ulmaceae  Moraceae 

Resumo

Esta proposta tem por objetivo comparar a morfologia da flor em desenvolvimento em espécies do clado urticoide, constituído por quatro famílias de Rosales: Ulmaceae, Cannabaceae, Urticaceae e Moraceae. A maioria das características compartilhadas por este grupo provém da flor, caracterizada por sua morfologia reduzida em relação a outras angiospermas: pequenas, pouco vistosas, díclinas (= unissexuais), aclamídeas ou monoclamídeas, androceu iso ou oligostêmone com estames arranjados em um verticilo, gineceu bicarpelar, pseudomonômero, às vezes transformado em pistilodio na flor estaminada ou atrofiado na flor pistilada, um único óvulo funcional inserido de formas diferentes, além de estigma com formas diversas. Os dados de desenvolvimento floral permitirão elucidar algumas questões interessantes e ainda enigmáticas para o grupo: (1) Há um padrão ontogenético que resulta na flor considerada reduzida? (2) Quais as vias de desenvolvimento (ausência do primórdio desde o início do desenvolvimento ou aborto no decorrer do desenvolvimento) que promovem a condição flor díclina (=unissexual) e monoclamídea ou aclamídea? Estas vias são similares nas espécies com diferentes expressões sexuais (monoicia, ginodioicia, dioicia, androdioicia, poligamia)? (3) As variações na meria do perianto, androceu e gineceu decorrem de ausência, subdivisão ou aborto de primórdios? (4) O perianto formado por verticilo único é constituído de sépalas ou pétalas? (5) A forma ascidiada do carpelo, relatada anteriormente em alguns gêneros de Moraceae, mas considerada condição basal nas angiospermas, pode ser confirmada nas espécies estudadas? Serão estudadas 17 espécies de 17 gêneros das quatro famílias. Botões florais de vários tamanhos e flores serão coletados de pelo menos dois indivíduos por espécie e processados para exames de superfície (microscopia eletrônica de varredura) e histológico (microscopia fotônica). Os principais produtos desta proposta estão relacionados à formação de pesquisadores dedicados ao estudo do desenvolvimento e à elucidação de questões morfológicas importantes na reprodução dos vegetais, bem como ao preenchimento de lacunas no conhecimento da Biologia do Desenvolvimento Vegetal, área pouco explorada no Brasil. (AU)

Publicações científicas (9)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARINHO, CRISTINA RIBEIRO; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Cellulases and pectinases act together on the development of articulated laticifers in Ficus montana and Maclura tinctoria (Moraceae). PROTOPLASMA, v. 256, n. 4, p. 1093-1107, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.
PEDERSOLI, GISELI D.; LEME, FLAVIA M.; LEITE, VIVIANE G.; TEIXEIRA, SIMONE P. Anatomy solves the puzzle of explosive pollen release in wind-pollinated urticalean rosids. AMERICAN JOURNAL OF BOTANY, v. 106, n. 3, p. 489-506, MAR 2019. Citações Web of Science: 0.
MARINHO, CRISTINA R.; TEIXEIRA, SIMONE P. Novel reports of laticifers in Moraceae and Urticaceae: revisiting synapomorphies. PLANT SYSTEMATICS AND EVOLUTION, v. 305, n. 1, p. 13-31, JAN 2019. Citações Web of Science: 2.
LEME, FLAVIA M.; STAEDLER, YANNICK M.; SCHONENBERGER, JURG; TEIXEIRA, SIMONE P. Ontogeny and Vascularization Elucidate the Atypical Floral Structure of Ampelocera glabra, a Tropical Species of Ulmaceae. INTERNATIONAL JOURNAL OF PLANT SCIENCES, v. 179, n. 6, p. 461-476, JUL-AUG 2018. Citações Web of Science: 2.
MARINHO, CRISTINA RIBEIRO; SANTINELO PEREIRA, RODRIGO AUGUSTO; PENG, YAN-QIONG; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Laticifer distribution in fig inflorescence and its potential role in the fig-fig wasp mutualism. ACTA OECOLOGICA-INTERNATIONAL JOURNAL OF ECOLOGY, v. 90, n. SI, p. 160-167, JUL 2018. Citações Web of Science: 5.
TEIXEIRA, SIMONE PADUA; COSTA, MARINA F. B.; BASSO-ALVES, JOAO PAULO; KJELLBERG, FINN; PEREIRA, RODRIGO A. S. Morphological diversity and function of the stigma in Ficus species (Moraceae). ACTA OECOLOGICA-INTERNATIONAL JOURNAL OF ECOLOGY, v. 90, n. SI, p. 117-131, JUL 2018. Citações Web of Science: 1.
LEITE, VIVIANE GONCALVES; MANSANO, VIDAL FREITAS; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Floral development of Moraceae species with emphasis on the perianth and androecium. FLORA, v. 240, p. 116-132, MAR 2018. Citações Web of Science: 3.
BRUNA NOCE SCHNETZLER; SIMONE PÁDUA TEIXEIRA; AND CRISTINA RIBEIRO MARINHO. Trichomes that secrete substances of a mixed nature in the vegetative and reproductive organs of some species of Moraceae. Acta Botanica Brasilica, v. 31, n. 3, p. 392-402, Set. 2017. Citações Web of Science: 3.
SOUZA, CAMILA D.; PEREIRA, RODRIGO A. S.; MARINHO, CRISTINA R.; KJELLBERG, FINN; TEIXEIRA, SIMONE P. Diversity of fig glands is associated with nursery mutualism in fig trees. AMERICAN JOURNAL OF BOTANY, v. 102, n. 10, p. 1564-1577, OCT 2015. Citações Web of Science: 8.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.