Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da matriz extracelular no processo de mecanotransdução em células endoteliais

Processo: 14/10156-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Juliana Luporini Dreyfuss Regatieri
Beneficiário:Juliana Luporini Dreyfuss Regatieri
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: José Eduardo Mourão Santos ; Marcelo Andrade de Lima
Assunto(s):Doenças cardiovasculares  Matriz extracelular  Glicosaminoglicanas  Mecanotransdução celular 

Resumo

O estresse mecânico altera as propriedades funcionais das células, o que é chamado de mecanotransdução. Esta mecanotransdução atua modificando respostas moleculares que envolvem elementos celulares estruturais e de sinalização celular. O endotélio está sujeito a estas forças e a matriz extracelular (MEC) e os componentes da superfície celular, como o glicocálix, são ativados pela deformação mecânica. A resposta das células endoteliais (ECs) aos estímulos de mecanotransdução é importante para a homeostase do sistema circulatório, e respostas anormais a estas forças implicam em doenças cardiovasculares. Neste projeto será realizado o estudo da expressão de moléculas da MEC em células endoteliais e células musculares lisas vasculares (VSMCs) em cultura submetidas a diferentes estímulos de mecanotransdução como o shear stress e o estiramento celular. Tanto o shear stress quanto o estiramento celular serão realizados em condições fisiológicas e patológicas. Após estes estímulos as células serão avaliadas quanto à expressão de moléculas da MEC utilizando imunofluorescência, PCR quantitativo, análise dos glicosaminoglicanos, análise das vias de sinalização disparadas e análise proteômica. Já os experimentos in vivo compreenderão análises das artérias de camundongos knockout para apolipoproteína E, que desenvolvem aterosclerose, já que esta promove alterações no fluxo sanguíneo, modificando moléculas de MEC. Serão também realizadas análises de imagem com ultrassom de alta freqüência dos vasos sanguíneos seguidos da análise histopatológica, histoquímica e por PCR quantitativo das moléculas da MEC. Estes estudos ajudarão a compreender melhor como a biologia vascular e as moléculas de MEC são afetadas pelos efeitos mecânicos, e como estas moléculas se comportam nas doenças cardiovasculares. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RUSSO, T. A.; STOLL, D.; NADER, H. B.; DREYFUSS, J. L. Mechanical stretch implications for vascular endothelial cells: Altered extracellular matrix synthesis and remodeling in pathological conditions. Life Sciences, v. 213, p. 214-225, NOV 15 2018. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.