Busca avançada
Ano de início
Entree

Radiotelemetria terrestre com codificação digital

Processo: 05/50843-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2006 - 30 de abril de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Sonia Cristina da Silva Belentani
Beneficiário:Sonia Cristina da Silva Belentani
Empresa:Marco Antonio Marques de Souza - EPP
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):08/05331-7 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
08/05165-0 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
08/05032-0 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
+ mais bolsas vinculadas 08/04659-9 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
08/04638-1 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
08/04620-5 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
08/04556-5 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.TT
06/51238-3 - Radiotelemetria terrestre com codificação digital, BP.PIPE - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Monitoramento ambiental  Telemetria  Fauna  Animais silvestres 

Resumo

Adicionar o conceito de codificação digital à rádio telemetria terrestre utilizada na monitoração de animais silvestres. Atualmente, a radio telemetria terrestre não utiliza nenhum tipo de codificação digital, identificando os animais através de frequências de transmissão diferentes. Isto eleva o custo dos equipamentos utilizados, tanto transmissores quanto receptores, e dificulta a fabricação nacional dos mesmos. Utilizando-se o conceito de codificação digital, todos os transmissores podem enviar seu sinal na mesma frequência de rádio e os animais passam a ser identificados por um código digital único, abrindo a possibilidade da monitoração ser feita sem a presença física do pesquisador no campo. A monitoração dos animais pode passar a ser feita por receptores autônomos, estrategicamente posicionados na área que se quer monitorar. Esses receptores registram a passagem dos animais com data, hora e número do animal captado. Posteriormente, o pesquisador baixa esses dados num computador e, através de um programa especialmente desenvolvido para esse fim, analisa os trajetos efetuados pelos animais nos dias monitorados. Além de reduzir o custo dos equipamentos, reduzir os custos do trabalho de campo para efetuar a monitoração e facilitar o trabalho dos pesquisadores, a codificação digital simplifica os equipamentos a ponto de permitir que os mesmos passem a ser fabricados no Brasil, com tecnologia de construção idêntica a de outros equipamentos eletrônicos já fabricados no país. (AU)