Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento industrial e comercial de aerostatos cativos de baixa altitude para múltiplas missões

Processo: 13/50782-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Aeroespacial - Sistemas Aeroespaciais
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Bruno Avena de Azevedo
Beneficiário:Bruno Avena de Azevedo
Empresa:Altave Serviços de Manutenção e Instalação de Sistemas de Radiocomunicações Ltda. - ME
Município: São José dos Campos
Assunto(s):Projeto de aeronaves  Aerodinâmica de aeronaves 

Resumo

A partir de uma combinação de esforços realizados no Projeto PIPE Fase 1 - 2011/50736-1 e resultados autônomos a ALTAVE atingiu um nível de maturidade em seu projeto de aeróstatos cativos com múltiplas aplicações. Dessa forma, com resultados parciais desse projeto de pesquisa, aplicações comerciais da tecnologia já se encontram visíveis, permitindo a entrada rápida no mercado, o que justifica o investimento do desenvolvimento industrial e comercial da solução. Os produtos em vista são sistemas aerostáticos para aplicações de monitoramento por câmeras, filmagem aérea de eventos para TV e telecomunicações em áreas remotas (Plano Nacional de Banda Larga). As soluções possuem como ponto comum aeróstatos cativos, compostos de dispositivo de ancoragem, cabo de ancoragem, estrutura suspensa, aeróstato e carga útil. A maturidade atual do projeto permite fomentar a entrada no mercado de soluções baseadas em aeróstatos com até 60 metros cúbicos e que operem em alturas de até 300 metros. Este projeto possui como objetivo atingir a versão final de produção dos sistemas aerostáticos citados, utilizando o cumprimento com a norma EASA/CS31TGB como diretriz para a revisão geral do projeto, finalmente obtendo o certificado de tipo emitido pelo Instituto de Fomento e Coordenação Industrial -IFI. A ALTAVE já obteve aprovação para execução do plano de certificação pelo IFI, o que será realizado em parceria através do vínculo da ALTAVE com a Incubaero e o DCTA. Para isso serão necessários ensaios estruturais e aprimoramento de itens de segurança como parte elétrica do guincho, sistema de iluminação noturna e dispositivo de deflação rápida, além de maneiras de medir a pressão interna e a tração no cabo. Por último serão avaliados fornecedores secundários, possibilidade de substituição de alguns componentes por similares nacionais e redução de custos. Entende-se que para execução dessas atividades críticas na maioria técnicas o maior investimento do projeto será em Recursos Humanos capacitados, em especial engenheiros, técnicos e operadores, com suporte administrativo, logístico e gerencial. Ainda, serão aproveitados ex-bolsistas RHAE/CNPq que absorveram grande quantidade de know how no projeto e na tecnologia de mais leves que o ar. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Balões para acessar a internet