Busca avançada
Ano de início
Entree

VI Encontro da Rede de Estudos Rurais

Processo: 14/12274-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 02 de setembro de 2014 - 05 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Extensão Rural
Pesquisador responsável:Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco
Beneficiário:Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Agricultura familiar  Desenvolvimento rural sustentável  Políticas públicas  Desenvolvimento rural 

Resumo

O tema central do VI Encontro da Rede de Estudos Rurais é: Desigualdade, exclusão e conflitos nos espaços rurais. A escolha deste tema levou em consideração o fato de que o encontro a ser realizado em 2014, quando se completam 50 anos da promulgação do Estatuto da Terra e que a Organização das Nações Unidas declarou como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, deveria refletir sobre as conquistas e também sobre os desafios que ainda estão postos para as diferentes populações rurais do Brasil, 25 anos depois da promulgação da chamada "Constituição Cidadã", em 1988. A redemocratização do país na década de 1980 alimentou esperanças de redução das enormes desigualdades brasileiras e possibilitou o fortalecimento dos movimentos sociais rurais, especialmente aqueles ligados à luta dos trabalhadores rurais sem terra, num primeiro momento. Nas últimas décadas, foram estabelecidas políticas voltadas para o fortalecimento da agricultura familiar e se viu emergir uma grande diversidade de reivindicações de direitos e lutas por reconhecimento identitário, em meio a conflitos ambientais e à expansão do agronegócio. Acreditamos que é importante realizar um debate que conecte e atualize os temas da desigualdade, exclusão e conflito neste momento, não exatamente com objetivo de fazer um balanço, mas de analisar e discutir em que medida os marcos regulatórios, as políticas públicas, a produção acadêmica e os movimentos sociais têm conseguido interpretar os novos espaços rurais, as novas identidades e, especialmente as formas multifacetadas de transformação empresarial da agricultura. No entanto, é necessário forçar a reflexão em torno dos problemas e apontar chaves explicativas que possibilitem análises mais eficazes da realidade social que julgamos ser necessário transformar. (AU)