Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa entre a arquitetura rural de São Paulo e Minas Gerais no ciclo do gado, 1780-1840

Processo: 14/13787-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Vladimir Benincasa
Beneficiário:Vladimir Benincasa
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Arquitetura rural  Fazendas de gado  Minas Gerais  São Paulo  História do século XIX  História do Século XVIII  Estudo comparativo 

Resumo

Trata da análise comparativa entre a arquitetura e o cotidiano das fazendas do ciclo do gado mineiras e paulistas. As mineiras situam-se na antiga região aurífera da Comarca do Rio das Mortes e foram abertas na segunda metade do século XVIII para abastecer de alimentos e víveres aquela região mineradora. As paulistas foram abertas entre o final do século XVIII e meados do século XIX, na região situada no nordeste do Estado de São Paulo, entre os rios Moji-Guaçu e Grande, ao longo do antigo Caminho de Goiás, cujo povoamento se deu, principalmente, por mineiros que, com o esgotamento das minas, buscaram novas terras e mercados para sobreviverem. Em nossa pesquisa de pós-doutorado, estudamos a porção paulista e, então, muito se ouviu sobre a forte "influência mineira", em todos os âmbitos, inclusive em sua arquitetura primitiva. No entanto, pouco se conhece sobre a arquitetura rural mineira da Comarca do Rio das Mortes. Atualmente, essa Comarca encontra-se dividida em duas mesorregiões: Metropolitana de Belo Horizonte (Ouro Preto, Mariana, Sabará, Ouro Branco, etc.) e dos Campos das Vertentes (São João Del Rei, Tiradentes, Prados, Ritápolis, etc.). Nesses municípios, conservam-se ainda um grande número de fazendas, pouco conhecidas ou pesquisadas, abertas ainda no ciclo minerador, cujas atividades originais estavam ligadas à pecuária extensiva de gado bovino, além da criação de suínos, muares e gêneros alimentícios. Destinavam-se a suprir o mercado local. (AU)