Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos das substâncias de limpeza de resíduos do cimento endodôntico, momento do condicionamento ácido e a repercussão sobre a resistência de união do sistema adesivo sobre a dentina de dentes bovinos

Processo: 14/16341-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Milton Carlos Kuga
Beneficiário:Milton Carlos Kuga
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Dentina  Resistência de união (odontologia)  Obturação do canal radicular  Cimentos endodônticos  Microscopia eletrônica de varredura  Análise mecânica 

Resumo

O objetivo do presente estudo será avaliar a capacidade de limpeza da superfície dentinária, contaminada por um cimento contendo resina epóxi (AH Plus), proporcionada pelo álcool etílico ou pelo xilol e seus efeitos sobre a interface dentina/sistema adesivo dentinário, através da avaliação da formação da camada híbrida e a resistência de união do adesivo dentinário, imediatamente ou após 7 dias da limpeza dentinária. No estudo 1, cinquenta fragmentos de dentina (5mm x 5 mm x 3 mm) de dentes bovinos serão obtidos do terço médio da coroa dental. Os fragmentos serão sucessivamente imersos em solução de hipoclorito de sódio (NaOCl) por 15 minutos, EDTA a 17% por 3 minutos e novamente em NaOCl por 1 minuto. Após seca, a superfície da dentina de quarenta fragmentos correspondente à câmara pulpar será contaminada com um cimento contendo resina epóxi (AH Plus), por 15 minutos. A superfície será imediatamente limpa com álcool etílico (n=20) ou xilol (n=20). Neste momento, os fragmentos serão distribuídos em quatro grupos experimentais: G1 (Álcool, condicionamento ácido imediato), a dentina será limpa com etanol e imediatamente após realizado o condicionamento ácido com ácido fosfórico a 37%; G2 (Xilol, condicionamento ácido imediato), semelhante a G1, utilizando o xilol; G3 (Álcool, condicionamento ácido tardio), semelhante a G1 porém o condicionamento ácido realizado 7 dias após; G4 (Xilol, condicionamento ácido tardio), semelhante a G3, utilizando o xilol. Dez fragmentos não contaminados, não tratados e apenas submetidos ao condicionamento ácido servirão como controle (G5). Após o condicionamento ácido, a superfície dentinária será lavada com jato de água, por 10 segundos, secas e preparadas para microscopia eletrônica de varredura. Após o processamento, os espécimes serão avaliados em MEV (500X) e a persistência de resíduos sobre a superfície dentinária será quantificada. Os dados obtidos serão submetidos ao teste de Kruskal Wallis (p=0,05). No estudo 2, a superfície vestibular de cinquenta incisivos bovinos serão desgastadas com lixas adaptadas em politriz, até a exposição da superfície dentinária. Os espécimes serão submetidos aos mesmos protocolos descritos no experimento 1, compondo 4 grupos experimentais e 1 controle. Imediatamente após a realização do condicionamento ácido, sobre esta superfície será aplicado o sistema adesivo e reconstruído com resina composta. Em seguida, os espécimes serão seccionados longitudinalmente e preparados para análise microscópica. A extensão intradentinária da camada híbrida será obtida através de microscopia confocal a laser de superfície (1024X) e quantificada com o Image J. Os dados obtidos serão submetidos ao teste de Kruskal Wallis (p=0,05). No estudo 3, a superfície vestibular de cinquenta incisivos bovinos serão desgastadas e incluídas em resina acrílica autopolimerizável. Os espécimes serão distribuídos em cinco grupos (n=10), semelhante aos protocolos descritos no experimento 2. Na sequência, após a aplicação do sistema adesivo, cilindros de resina composta serão aderidos à dentina subjacente. Após 24 horas, será realizado o teste de microcisalhamento, em máquina de ensaio eletromecânica. Os dados obtidos (em MPa) serão analisados através dos testes de Kruskal-Wallis (p=0,05). (AU)