Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização dos receptores opioides no sistema nervoso central e avaliação dos efeitos analgésico e sedativo dos opióides em teiús (Salvator merianae) e iguanas-verdes (Iguana iguana)

Processo: 14/10452-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Comportamento Animal
Pesquisador responsável:Adriano Bonfim Carregaro
Beneficiário:Adriano Bonfim Carregaro
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Pesq. associados:Augusto Shinya Abe ; Heidge Fukumasu
Bolsa(s) vinculada(s):15/24846-1 - Caracterização dos receptores opióides no sistema nervoso central e avaliação dos efeitos analgésico e sedativo dos opióides em teiús (Salvator merianae) e iguanas- verdes (Iguana iguana), BP.TT
Assunto(s):Herpetologia  Répteis  Sistema nervoso central  Receptores opioides  Analgesia  Dor  Morfina 

Resumo

O estudo tem como objetivos caracterizar e localizar os receptores opioides (OR) no Sistema Nervoso Central (SNC) de tieús (Salvator merianae) e iguanas-verdes (Iguana iguana), avaliar o efeito sedativo e analgésico da morfina e do butorfanol nesses animais, além de avaliar a influência da sazonalidade frente a esses testes. Para a caracterização e localização dos OR no SNC, serão realizadas as amplificações dos cDNAs referentes aos OR utilizando a técnica de 3` e 5` RACE PCR, para posteriormente localizar a distribuição dos OR no SNC, por imunohistoquímica. Para realização da segunda e terceira fases os animais (n = 10) serão submetidos a cinco tratamentos: morfina 10mg/kg (GM10), morfina 20mg/kg (GM20), butorfanol 10mg/kg (GB2), butorfanol 20mg/kg (GB20) e 0,5mL de solução salina 0,9% (GC), todos administrados por via IM. Será avaliada a atividade locomotora dos animais antes do tratamento (basal) e em 30 minutos, 1, 2, 3, 4, 6, 12 e 24 horas após a administração dos tratamentos, por meio de teste de campo aberto. A analgesia será avaliada por meio de teste de termoestimulação. Será avaliado o tempo de retirada do membro ao estímulo álgico antes dos tratamentos (basal), aos 30 minutos, 1, 2, 3, 4, 6, 12 e 24 horas após a administração do tratamento. Espera-se que o estudo permita caracterizar e localizar os MOR e KOR no SNC de teiús e iguanas, bem como esclarecer os efeitos sedativos e analgésicos da morfina e do butorfanol nessas espécies. Ademais, espera-se determinar as doses mais adequadas dos opioides testados para os teiús e as iguanas. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BRESSAN, THAIS F.; SOBREIRA, THAYANEE; CARREGARO, ADRIANO B. Use of Rodent Sedation Tests to Evaluate Midazolam and Flumazenil in Green Iguanas (Iguana iguana). Journal of the American Association for Laboratory Animal Science, v. 58, n. 6, p. 810-816, NOV 2019. Citações Web of Science: 0.
BISETTO, SHAYNE P.; MELO, CRISTIANO F.; CARREGARO, ADRIANO B. Evaluation of sedative and antinociceptive effects of dexmedetomidine, midazolam and dexmedetomidine-midazolam in tegus (Salvator merianae). VETERINARY ANAESTHESIA AND ANALGESIA, v. 45, n. 3, p. 320-328, MAY 2018. Citações Web of Science: 5.
ELIAS DA SILVA, ANDRE NICOLAI; BRESSAN, THAIS FERES; CARREGARO, ADRIANO BONFIM. Intracoelomic pressure and coelomic perfusion pressure in healthy tegus (Salvator merianae). Ciência Rural, v. 48, n. 2, p. -, 2018. Citações Web of Science: 0.
LEAL, WILLIAM P.; CARREGARO, ADRIANO B.; BRESSAN, THAIS F.; BISETTO, SHAYNE P.; MELO, CRISTIANO F.; SLADKY, KURT K. Antinociceptive efficacy of intramuscular administration of morphine sulfate and butorphanol tartrate in tegus (Salvator merianae). AMERICAN JOURNAL OF VETERINARY RESEARCH, v. 78, n. 9, p. 1019-1024, SEP 2017. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.