Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil metabólico, hormonal e de proteínas de fase aguda em vacas prenhes e vazias e sua relação com hemodinâmica uterina e qualidade do sêmen

Processo: 14/12757-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Eneiva Carla Carvalho Celeghini
Beneficiário:Eneiva Carla Carvalho Celeghini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Fabio Celidonio Pogliani
Assunto(s):Bovinos  Fertilidade animal  Endometrite  Estradiol  Hemodinâmica  Proteínas da fase aguda 

Resumo

Após a deposição do sêmen no trato reprodutivo ocorre um processo inflamatório que causa uma reação sistêmica chamada de resposta de fase aguda, caracterizada pela produção de proteínas de fase aguda. Além disso, o perfil metabólico e hormonal do animal influencia suas funções reprodutivas de modo que o estudo dos mesmos pode auxiliar na avaliação de rebanhos com diferentes índices produtivos e reprodutivos. A qualidade do sêmen utilizado na IATF é um dos pontos que interfere na fertilização. A hemodinâmica uterina é alterada de acordo com os eventos que ocorrem no organismo animal. Dessa forma, para este estudo, foram delineados 3 experimentos. O experimento 1 tem como objetivo estudar os componentes do sangue para comparar o perfil sanguíneo entre vacas que foram inseminadas ou não e verificar as alterações que ocorrem na hemodinâmica uterina de acordo com a concentração dos componentes sanguíneos. Serão utilizadas amostras de soro e plasma de vacas que foram inseminadas (GIA, n=10) e vacas que não passaram pelo processo de inseminação (GC, n-=10). As amostras foram coletadas 30 horas antes da IA, 4, 24, 48 e 168 horas após a IA. O experimento 2 foi desenvolvido com o objetivo de estudar os efeitos do sêmen de diferentes qualidades sobre os componentes do sangue e sobre a hemodinâmica uterina, e ainda a relação entre a concentração dos componentes sanguíneos e a hemodinâmica uterina. Serão utilizadas amostras de soro e plasma sanguíneos que foram coletadas de 362 vacas paridas divididas em três grupos experimentais de acordo com a qualidade do sêmen para a realização da IATF: boa (n=121), média (n=121) e regular (n=120). As amostras foram coletadas 30 horas antes da IA, 4 e 24 horas após a IA. Ainda uma amostragem, de 108 animais foi submetida à coleta de sangue no momento do diagnóstico de gestação, que foi realizado 30 dias após a IATF por ultrassonografia transretal. O experimento 3 tem o objetivo de comparar o perfil sanguíneo entre animais que emprenharam e que ficaram vazios e verificar as alterações que ocorrem na hemodinâmica uterina de acordo com o resultado da IATF. Serão utilizadas as mesmas amostras do experimento 2, no entanto, será realizado um estudo retrospectivo e os grupos experimentais serão divididos de acordo com o resultado da IATF (prenhe X vazia). Em todos os experimentos, nos mesmos momentos da coleta de sangue, foram realizadas avaliações ultrassonográficas do útero no modo color Doppler e espectral. As amostras de soro e plasma dos experimentos 1, 2 e 3 serão submetidas à quantificação das proteínas de fase aguda e dos componentes metabólicos do sangue utilizando analisador bioquímico automático (RX Daytona) e a dosagem hormonal, pela técnica de radioimunoensaio. As variáveis serão submetidas ao PROC GLM do SAS (SAS, versão 9.2, 2010) e após serão analisadas pelo PROC MIXED, utilizando modelo linear misto para medidas repetidas no tempo. Serão consideradas diferenças estatísticas quando p<0,05. (AU)