Busca avançada
Ano de início
Entree

Espaço urbano e moradia: perspectivas da acessibilidade e funcionalidade na velhice

Processo: 13/22021-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Luzia Cristina Antoniossi Monteiro
Beneficiário:Luzia Cristina Antoniossi Monteiro
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:José Francisco ; Karina Gramani Say ; Marisa Silvana Zazzetta ; Vania Aparecida Gurian Varoto
Assunto(s):Políticas públicas  Habitação  Barreiras arquitetônicas  Velhice 

Resumo

O espaço urbano precisa acolher de forma digna o exponencial número de idosos que as estatísticas apresentam para os próximos anos. O local de moradia e seu entorno é uma das variáveis que favorecem positiva ou negativamente aspectos da funcionalidade da pessoa idosa, podendo fortalecer sua independência, autonomia ou dependência. Por esse motivo a habitação deve atender as condições de acessibilidade e dispor das adaptações necessárias às pessoas idosas correspondendo aos seus desejos, potencialidades favorecendo sua funcionalidade. O objetivo geral deste projeto é identificar a aplicabilidade das condições de acessibilidade nos espaços intra muros de um núcleo habitacional para idosos, focalizando aspectos de acessibilidade de edificações, assim como, da acessibilidade urbana ao redor do mesmo. Também verificar aspectos funcionais dos moradores, do espaço e da vizinhança de acordo com percepção dos envolvidos quanto as normas e legislações de acessibilidade vigentes no país. Trata-se de um estudo transversal, descritivo baseado nos pressupostos do método quali-quantitativo de investigação, com trabalho de campo de caráter exploratório, com visitas ao conjunto habitacional para idosos e realização de entrevistas semi-estruturadas com moradores e gestores. Ainda, serão analisadas fontes primárias (documentos, leis, dados bibliográficos) e secundárias como fotografias. Um estudo longitudinal perpassará as etapas da pesquisa transversal previsto, inicialmente para o período de 5 (cinco) anos (2013/2017). Todos os cuidados serão tomados para observar os princípios éticos que regem pesquisas com seres humanos, sendo que o projeto já foi enviado ao CEP-UFSCar. O espaço urbano deve ser pensado a partir dos novos desafios e demandas geradas com a evolução organizacional dos espaços, das pessoas que os habitam e principalmente levando-se em conta aspectos do processo de envelhecimento brasileiro tão em destaque. A acessibilidade é um dos recursos que possibilita a inclusão, integração e pode facilitar funcionalmente as pessoas idosas no contexto de moradia, na comunidade, na vida política e social da cidade. (AU)