Busca avançada
Ano de início
Entree

Método de Traços de fissão nos minerais, apatita, zircão e epídoto: termo-cronologia da porção norte da Bacia do Paraná e dos Andes peruanos

Processo: 14/15838-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Carlos Alberto Tello Sáenz
Beneficiário:Carlos Alberto Tello Sáenz
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/25418-0 - "separação de Minerias", BP.TT
14/25095-7 - "montagem dos grãos de apatia e zircão", BP.TT
Assunto(s):Geocronologia  Termocronologia  Zircão  Apatitas 

Resumo

Através do Método de Traços de Fissão (MTF), pretende-se estudar os efeitos do ataque químico nos minerais, apatita, zircão e epídoto coletados na porção norte da Bacia do Paraná e em vidros vulcânicos coletados nos Andes Peruanos. Para isto faremos a caracterização dos minerais e dos vidros vulcânicos através de diferentes técnicas utilizadas em ciências dos materiais, como: i) Microscopia Ótica; ii) Espectroscopia micro-Raman; iii) Microscopia de Força Atômica, MFA; iv) Acelerador de Íons Pesados; v) Microscopia Eletrônica de Varredura com Energy Dispersive Spectroscopy (MEV/EDS) e vi) Micro-sonda Eletrônica. Desta forma, teremos elementos suficientes para fazer um estudo teórico-experimental dos diferentes fenômenos físico-químicos que ocorrem na cristalização natural de cada mineral com o intuito de determinar a relação entre o ataque químico, utilizado para revelar os traços de fissão, e as características cristalográficas dos mesmos. Desta forma, estes estudos visam de uma forma geral dar continuidade ao aprimoramento do MTF nestes minerais no DFQB/FCT, UNESP, Campus Presidente Prudente, onde se pretende realizar este projeto.Estes avanços metodológicos serão utilizados para estender os nossos estudos de termocronologia no Grupo Bauru na região de Presidente Prudente até as suas bordas, ao norte, onde se localizam os embasamentos da Serra do Mar, Serra da Mantiqueira e Serra da Canastra. Determinaremos tanto a idade quanto a história térmica de amostras coletadas em pontos estratégicos nesta ampla região de estudo de tal forma a complementar o nosso conjunto dados obtidos em projetos anteriores. Adicionalmente, os métodos de datação U/Pb (LA-ICP-MS) e (U-Th-Sm/He) serão aplicados aos grãos de zircão e apatita, respectivamente, coletados na região de estudo. Assim, será obtido simultaneamente um conjunto de idades através destas ferramentas geocronológicas nas mesmas amostras. Isto permitirá fazer um estudo geocronológico abrangente da porção norte da Bacia do Paraná e sua relação com os embasamentos adjacentes, através da comparação das idades obtidas nesta unidade geológica com aquelas obtidas nas Serras do Mar, Serra da Mantiquiera e Serra da Canastra. Ou seja, será possível fazer uma correlação Fonte-Bacia. Para atingir este objetivo, 40 amostras serão coletadas em pontos estratégicos previamente estabelecidos dando-se preferência a pontos localizados nas proximidades de falhas geológicas.Para atingir estes objetivos, a proposta deste projeto é continuar com a rotina do Laboratório de Traços de Fissão no FCT do DFQB/UNESP- Presidente Prudente. Este laboratório junto com o Laboratório de Separação de Minerais foi implementado e colocado em rotina com verbas (no total de R$ 500.000,00) obtidas da FAPESP (Proj. No 2005/51142-3) através do programa Jovem Pesquisador, no período de 2008-20012, coordenado pelo proponente deste projeto. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.