Busca avançada
Ano de início
Entree

Qualificação e caracterização de Salmonella spp. isolados de lodos de esgotos com potencial de utilização na agricultura

Processo: 14/50731-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Maria Tereza Pepe Razzolini
Beneficiário:Maria Tereza Pepe Razzolini
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Agricultura  Resistência microbiana a medicamentos  Salmonella  Genes de virulência  Lodo de esgoto  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

O presente estudo visa a quantificar Salmonella spp. e seus sorotipos em amostras de lodo de esgoto de estações de tratamento de esgotos, e avaliar a presença de genes de virulência e resistência a antibióticos. As amostras (n = 54) foram coletadas e analisadas de acordo com o Método EPA 1682/2006. Foram selecionadas para análise sorológica cepas 40 e submetidas a análise de PCR e detecção de spvC, invA e sseL e presença de plasmídeos. Salmonella spp. foi detectada em 38,9% das amostras coletadas < 0,006473-12,19 NMP/gST). O sorotipo mais prevalente foi a Salmonella Infantis. Todas as cepas de Salmonella spp. (n = 35) apresentaram, pelo menos, um dos três genes de virulência e 40% apresentaram plasmídeos. Sorotipos de S. typhimurium foram isoladas e apresentaram pelo menos um dos seguintes genes de virulência: spvC invA ou sseL. Quatro isolados foram resistentes à tetraciclina; três eram resistentes a sulfametoxazol-trimetoprim, e um isolado foi resistente à ciprofloxacina. Duas cepas de Salmonella spp. foram multirresistentes. Os resultados obtidos demonstraram que essas bactérias estavam presentes no lodo de esgoto, portanto, é essencial definir medidas para mitigar os riscos à saúde humana, quando se destina a ser aplicado em solos agrícolas. (AU)