Busca avançada
Ano de início
Entree

Medula óssea e células tronco na regeneração periodontal: análises microtomográfica, histomorfométrica, imunohistoquímica e imunoenzimática em defeitos periodontais de fenestração em ratos

Processo: 14/03516-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Michel Reis Messora
Beneficiário:Michel Reis Messora
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados: Tatiana Miranda Deliberador ; Thaisângela Rodrigues Lopes e Silva Gomes
Assunto(s):Reparação periodontal  Células-tronco mesenquimais  Medula óssea  Análise genética  Ratos 

Resumo

O objetivo do presente estudo é avaliar o potencial regenerativo do aspirado concentrado de medula óssea (ACMO) e de células tronco mesenquimais cultivadas derivadas de medula óssea (CTMMO) no tratamento de defeitos periodontais de fenestração criados cirurgicamente em ratos. As CTMMO cultivadas e isoladas CD105+, CD34- e CD45- serão obtidas de 2 ratos isogênicos por separação celular magnética. Para avaliar a pureza das células separadas a citometria de fluxo e imunomarcação para STRO-1 serão realizados. Amostras serão submetidas a diferenciação osteogênica e adipogênica para verificar por análise genética, ensaio de Von-Kossa e Adipogênico a capacidade de diferenciação das CTMMO separadas. Defeitos periodontais de fenestração serão criados bilateralmente na mandíbula de outros 168 ratos. Os animais serão aleatoriamente divididos em 7 grupos: 1) Grupo C (Controle): o defeito será preenchido com coágulo sanguíneo, 2) Grupo APG: o defeito será preenchido com Alginato de Propileno Glicol, 3) Grupo PDME: o defeito será preenchido com Proteínas Derivadas de Matriz de Esmalte, 4) Grupo ACMO-APG, 5) Grupo ACMO-PDME, 6) Grupo CTMMO-APG e, 7) Grupo CTMMO-PDME. Os animais serão divididos em 3 subgrupos para a eutanásia aos 15, 30 e 60 dias de pós-operatório. Em uma hemi-mandíbula serão avaliados o volume e medidas lineares dos tecidos neoformados por análise microtomográfica, o tipo e qualidade dos tecidos neoformados por análises histológicas e histomorfométricas, e presença de osteocalcina, osteopontina, osteonectina, RANK-L, RUNX-2, TRAP e sialoproteína óssea por análise imunohistoquímica. Na outra hemi-arcada o ensaio imunoenzimático irá determinar os níveis das citocinas IL-6, TNF-a, MCP-1, IL-10, IL-1ß, TGF-b, RANKL, OPG, IL-8 e M-CSF. Os dados obtidos serão submetidos à análise estatística, adotando-se nível de significância de 5%. (AU)