Busca avançada
Ano de início
Entree

Possível interação entre estimulação beta-adrenérgica e ativação do receptor de mineralocorticóide em células endoteliais, musculares lisas e do tecido adiposo perivascular

Processo: 14/07947-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Ana Paula Couto Davel
Beneficiário:Ana Paula Couto Davel
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Andréia Delbin
Assunto(s):Endotélio vascular  Músculo liso vascular  Tecido adiposo  Receptores adrenérgicos beta  Receptores de mineralocorticoides 

Resumo

A crônica ativação dos receptores beta-adrenérgicos (beta-AR) é um dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos no disparo e agravamento de doenças cardiovasculares de alta mortalidade como hipertensão arterial e insuficiência cardíaca. Entretanto, apesar dos descritos efeitos cardíacos, pouco se sabe sobre os efeitos da hiperativação beta-AR na função vascular. Experimentalmente, a administração in vivo de doses diárias de isoproterenol (ISO), um agonista beta-AR não seletivo, é usado como um modelo não invasivo para estudo dos efeitos hiperativação beta-AR. Demonstrou-se que o tratamento com ISO induz aumento da contratilidade, disfunção endotelial, aumento da síntese de citocinas inflamatórias e estresse oxidativo em aorta de ratos e camundongos. Estes efeitos foram associados a aumento da atividade da proteína Gi, de MAPKs (kinase ativada por mitógenos) e menor dimerização da óxido nítrico sintase endotelial (eNOS), reduzindo a síntese e biodisponibilidade do fator vasodilatador derivado do endotélio, o NO. Recentemente observamos que o antagonismo do receptor de mineralocorticoides (MR) reverte o aumento da resposta contrátil, disfunção endotelial e estresse oxidativo induzidos pelo ISO em aorta, sugerindo uma interação entre as vias de sinalização beta-AR e MR. Os efeitos vasculares observados foram independentes de alterações hemodinâmicas e das concentrações plasmáticas de aldosterona e corticosterona, sugerindo que a hiperativação beta-AR induz ativação da sinalização MR vascular independente de efeitos sistêmicos. Entretanto, permanecem as seguintes questões: 1) se a hiperativação beta-AR induz a síntese e liberação de fatores ativadores do MR (aldosterona e glicocorticoides), ou a modulação da ação destes fatores nas células vasculares e adipócitos perivasculares (PVAT); 2) se a ativação beta-AR pode diretamente induzir a via de sinalização do MR; 3) qual seria a cascata intracelular da via beta-AR/ MR envolvida para desacoplamento da eNOS e estresse oxidativo vascular. Perante o fato de que as células endoteliais, musculares lisas vasculares e os adipócitos expressam beta-AR e MR, assim como possuem a maquinaria celular para sintetizar fatores ativadores do MR, o objetivo deste trabalho é testar a hipótese de que a hiperativação beta-AR induz a ativação do MR nas células vasculares e/ou no PVAT, e por esta via causa disfunção endotelial e desequilíbrio redox vascular. Para tal, será realizada a exposição prolongada ao agonista beta-AR isoproterenol in vivo em ratos e in vitro em cultura de células endoteliais, CMLV e adipócitos do PVAT, na presença ou não de antagonista MR. Na aorta e PVAT isolados dos ratos tratados e nos cultivos celulares, serão avaliados: a produção de corticosterona e aldosterona; as vias celulares para síntese e ação dos fatores ativadores de MR; a ativação das vias de sinalização do receptor beta-AR ligadas a proteína Gs e Gi; a produção de NO e espécies reativas do oxigênio. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FRANCO, NATHALIA DA SILVA; LUBACZEUSKI, CAMILA; GUIZONI, DANIELE M.; VICTORIO, JAMAIRA A.; SANTOS-SILVA, JUNIA C.; BRUM, PATRICIA C.; CARNEIRO, EVERARDO M.; DAVEL, ANA P. Propranolol treatment lowers blood pressure, reduces vascular inflammatory markers and improves endothelial function in obese mice. PHARMACOLOGICAL RESEARCH, v. 122, p. 35-45, AUG 2017. Citações Web of Science: 7.
VICTORIO, JAMAIRA A.; CLERICI, STEFANO P.; PALACIOS, ROBERTO; ALONSO, MARIA J.; VASSALLO, DALTON V.; JAFFE, IRIS Z.; ROSSONI, LUCIANA V.; DAVEL, ANA P. Spironolactone Prevents Endothelial Nitric Oxide Synthase Uncoupling and Vascular Dysfunction Induced by beta-Adrenergic Overstimulation Role of Perivascular Adipose Tissue. Hypertension, v. 68, n. 3, p. 726+, SEP 2016. Citações Web of Science: 18.
VICTORIO, JAMAIRA A.; FONTES, MILENE T.; ROSSONI, LUCIANA V.; DAVEL, ANA P. Different Anti-Contractile Function and Nitric Oxide Production of Thoracic and Abdominal Perivascular Adipose Tissues. FRONTIERS IN PHYSIOLOGY, v. 7, JUL 12 2016. Citações Web of Science: 19.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
DAVEL, Ana Paula Couto. . 2018. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.