Busca avançada
Ano de início
Entree

Redução dos níveis de emissões atmosféricas de CO2 durante a fabricação de revestimentos cerâmicos porosos (monoporosas)

Processo: 14/50157-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Fábio Gomes Melchiades
Beneficiário:Fábio Gomes Melchiades
Empresa:Centro de Serviços e Materiais Cerâmicos Ltda
Município: São Carlos
Bolsa(s) vinculada(s):15/20161-4 - Caracterização microestrutural de massas de monoporosa, BP.TT
15/08370-7 - Seleção e caracterização de matérias-primas para o desenvolvimento de massas de monoporosa, BP.TT
15/00744-5 - Redução dos níveis de emissões atmosféricas de CO2 durante a fabricação de revestimentos cerâmicos porosos (monoporosas), BP.PIPE
Assunto(s):Cerâmica (materiais cerâmicos)  Emissão de gases  Carbonato de cálcio  Dióxido de carbono 

Resumo

O Brasil é o segundo maior produtor e consumidor mundial de revestimentos cerâmicos (pisos e azulejos) e o Estado de São Paulo é responsável por 71% da produção dos revestimentos produzidos no país. A fabricação destes produtos gera elevados passivos ambientais, cabendo destacar as emissões atmosféricas de CO2, decorrentes do consumo de energia térmica e da decomposição de matérias-primas carbonatadas. Os esforços envolvidos com o crescimento econômico sustentável das nações produziram inúmeras discussões nos últimos anos, que culminaram com a criação de legislações específicas no Brasil, tais como a Lei Estadual 13.978/2009, que estabelece a meta de redução de 20% das emissões atmosféricas de CO2 no Estado de São Paulo até o ano de 2020. Estudos recentes indicam que os revestimentos cerâmicos porosos, destinados ao recobrimento de paredes (azulejos) - também denominados "monoporosa" - correspondem aos revestimentos cerâmicos de maiores emissões específicas de CO2. De acordo com dados publicados pela Anfacer, os produtos destinados ao recobrimento de paredes representam 19% dos revestimentos fabricados no país e apresentaram crescimento de produção superior a 50% de 2005 a 2013, o que indica que as emissões de CO2 associadas a fabricação desta tipologia de produto incrementaram-se expressivamente nos últimos anos. Em vista do contexto apresentado, este projeto de pesquisa pretende contribuir para o crescimento sustentável do setor de revestimentos cerâmicos, através do desenvolvimento de revestimentos porosos fabricados por monoqueima (monoporosas) com redução de, ao menos, 50% das emissões atmosféricas de CO2 associadas à fabricação desta tipologia de produto. Para isso, pretende-se estudar a viabilidade de aplicação da rota de processamento via seca para a fabricação destes produtos, a qual permite reduções expressivas das emissões de CO2 durante o processo de fabricação, relacionadas primordialmente com a eliminação da etapa de atomização da massa. Esta rota tem sido alvo de estudos recentes e despertado o interesse do setor industrial para a fabricação de produtos historicamente produzidos por via úmida, como os porcelanatos, Além disso, pretende-se estudar a possibilidade de eliminação ou redução drástica do conteúdo de carbonatos nas massas. Atualmente, as massas de monoporosa empregam de 12% a 15% de calcita em suas composições para garantir a estabilidade dimensional do produto durante a queima. Entretanto, a decomposição do carbonato de cálcio é responsável por mais de 30% das emissões atmosféricas de CO2 associadas com a fabricação das monoporosas. Os estudos serão conduzidos originalmente com matérias-primas disponíveis no Estado de São Paulo, de modo que a tecnologia possa ser diretamente transferida para as empresas produtoras de revestimentos cerâmicos do Estado. O sucesso do desenvolvimento pode culminar com a criação de um produto/processo inovador, capaz de contribuir para o crescimento sustentável do setor cerâmico no país. (AU)

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE MATERIAL CERÂMICO COM EMISSÃO REDUZIDA DE CO2 BR1020160263824 - Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) . Anselmo Ortega Boschi; Fábio Gomes Melchiades - 10 de novembro de 2016