Busca avançada
Ano de início
Entree

Annatto: a sustainable bio-factory for natural colors and heath promoting components for foods

Processo: 14/50422-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Convênio/Acordo: Innovation Fund Denmark
Pesquisador responsável:Marcos Nogueira Eberlin
Beneficiário:Marcos Nogueira Eberlin
Pesq. responsável no exterior: Bjarne Jørnsgård
Instituição no exterior: Aarhus University, Dinamarca
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):16/22577-6 - EMU concedido no processo 2014/50422-1, Agilent Q-TOF 6550 IFunnel, AP.EMU
Assunto(s):Corantes naturais  Carotenoides  Indústria de alimentos  Indústria de bebidas  Espectroscopia de massa  Sementes 

Resumo

O mercado de corantes naturais é de aprox. 700M € com taxas de crescimento superiores a 10% ao ano. Um dos principais marcadores de mercado é relatar sobre efeitos adversos dos corantes sintéticos em crianças. Atualmente, 30% dos alimentos e bebidas usam corantes naturais. O maior desafio para o aceite do restante do mercado aos corantes sintéticos é o custo adicional e baixa estabilidade desses pigmentos frente aos corantes naturais. Os carotenoides são o grupo de pigmentos preferido utilizados para os tons de amarelo e laranja, o que representa 60% do volume do mercado. A safra de urucum (Bixa orellana L.), que é endógena para a América do Sul, pode conter acima de 5 % carotenoides em suas sementes. Isto é 100-1000 vezes a concentração normalmente encontrada na cenoura, tornando Bixa orellana um sistema promissor para a produção de tais pigmentos. O nível dos dois principais carotenoides bixina e norbixina, pode variar significativamente, tipicamente de 1% a 5%, em diferentes variantes de cultivo da planta. Ao implementar o rastreio sistemático e um reprodução otimizada, o primeiro objetivo do projeto é aumentar os níveis de bixina e norbixina de 5-10%. Um segundo objetivo é utilizar a espectrometria de massas para localizar e caracterizar outros componentes valiosos, ou seja, anti-oxidantes naturais. O terceiro objetivo do projeto é aumentar a estabilidade e aplicações de bixina e norbixina nos alimentos. Ambos os pigmentos são sensíveis à luz e calor, e insolúveis em água. Diferentes técnicas de formulações serão utilizadas para melhorar a estabilidade e funcionalidade destes pigmentos e antioxidantes na aplicação de alimentos e bebidas. Ao otimizar tanto os estágios de produção primária, bem como aumentando a estabilidade ou a aplicabilidade para uma ampla gama de alimentos, esse projeto poderá transformar sementes de Bixa orellana em uma bio-fábrica sustentável de cores naturais para as indústrias de alimentos e bebidas. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.