Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do efeito da acidificação oceânica, aquecimento global e alterações da salinidade sobre a fisiologia de caranguejos do gênero Uca: simulações de cenários futuros em laboratório

Processo: 14/16983-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Alessandra da Silva Augusto
Beneficiário:Alessandra da Silva Augusto
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Pesq. associados:Tânia Marcia Costa
Assunto(s):Fisiologia animal  Crustáceos  Caranguejo  Metabolismo animal  Mudança climática 

Resumo

Pretende-se avaliar em laboratório aspectos da fisiologia de caranguejos marinhos frente a cenários previstos de alterações climáticas (IPCC, 2013) como acidificação oceânica, aumento da temperatura e variações da salinidade consequentes da elevação do nível do mar e/ou aumento da pluviosidade. Embora os sistemas fisiológicos mantenham o meio interno razoavelmente constante sob condições ideais de pH, temperatura, salinidade, etc, níveis subótimos dessas variáveis ambientais podem romper as reações químicas básicas e causar alterações das funções fisiológicas. Propõe-se avaliar o efeito sinérgico de alterações climáticas futuras baseadas em previsões do IPCC (2013) sobre aspectos da fisiologia de caranguejos do gênero Uca coletados na Estação Ecológica Juréia-Itatins. O local possui grande biodiversidade de decápodos que ocupam áreas entre-marés, costões rochosos, mangues e estão sujeitos a inundações decorrentes do aumento do nível do mar, o qual pode provocar alterações na salinidade. As espécies escolhidas, Uca vocator e Uca mordax, são representativas do local e possíveis indicadoras de mudanças climáticas devido à sua sensibilidade a alterações abióticas como, por exemplo, densidade populacional que varia sazonalmente e distribuição espacial em função da salinidade. Os mecanismos fisiológicos serão investigados em animais mantidos em laboratório e expostos durante cinco dias a 40 tratamentos resultantes da combinação de diferentes níveis de pH (8,0 e 7,2), temperatura (20, 25, 30 e 40oC) e salinidade (25, 30, 35, 40 e 45). Serão investigados o metabolismo, osmorregulação, excreção de amônia, substrato energético oxidado, concentração de glicose na hemolinfa, índices hepatossomático e gonadossomático e conteúdo energético do hepatopâncreas e gônadas. A escassez de informações sobre os efeitos das alterações climáticas futuras sobre a fisiologia dos animais marinhos é um dos principais desafios a serem sanados e esse estudo poderá contribuir para conhecimento do impacto das variações ambientais sobre a biodiversidade de caranguejos do gênero Uca. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RAMAGLIA, ANDRESSA CRISTINA; DE CASTRO, LEANDRO MANTOVANI; AUGUSTO, ALESSANDRA. Effects of ocean acidification and salinity variations on the physiology of osmoregulating and osmoconforming crustaceans. JOURNAL OF COMPARATIVE PHYSIOLOGY B-BIOCHEMICAL SYSTEMIC AND ENVIRONMENTAL, v. 188, n. 5, p. 729-738, SEP 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.