Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da restrição de fluxo sanguíneo no intervalo entre séries de treinamento de força em alta intensidade na ativação muscular e estresse metabólico

Processo: 14/20369-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Renato Barroso da Silva
Beneficiário:Renato Barroso da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Educação Física (FEF). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento de força  Hipertrofia  Fluxo sanguíneo 

Resumo

As adaptações neuromusculares ao treinamento de força (TF) envolvem o aumento da força e da massa muscular (hipertrofia). Recomendações tradicionais para hipertrofia incluem volumes (séries x repetições) de moderados a altos com intensidades acima de 70% do máximo (>70% 1RM). Porém, o TF em baixa intensidade (20-50% 1RM) associado à restrição de fluxo sanguíneo (RFS) promove hipertrofia semelhante àquela encontrada com o TF de alta intensidade. Os benefícios da RFS para a hipertrofia incluem a redução da oferta de oxigênio e o aumento do estresse metabólico e da ativação muscular. Esses efeitos parecem ser mais pronunciados quando a RFS é aplicada não somente durante as contrações, mas também durante os intervalos entre séries. O objetivo desse estudo é comparar o estresse metabólico e a ativação muscular no TF de alta intensidade com a aplicação da RFS somente durante as contrações ou somente durante os intervalos. Quinze voluntários serão submetidos a sessões experimentais em que deverão realizar 4 séries de 8 repetições com 70% de 1RM e 1 min de intervalo no exercício extensão de joelhos em uma das três condições experimentais: sem RFS, RFS durante as contrações e RFS durante os intervalos. Será avaliado o lactato sanguíneo antes, no intervalo entre as séries e 3, 5, 7 e 10 min após o término do exercício. A ativação muscular será avaliada através da eletromiografia de superfície coletada durante as contrações musculares. A força isométrica máxima será avaliada antes e ao término da sessão de TF. É esperado que a aplicação da RFS durante os intervalos aumente o estresse metabólico e a ativação muscular. Esses resultados indicariam que a associação da RFS com a alta intensidade pode trazer benefícios desde que a RFS seja aplicada durante o intervalo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TEIXEIRA, EMERSON L.; BARROSO, RENATO; SILVA-BATISTA, CARLA; LAURENTINO, GILBERTO C.; LOENNEKE, JEREMY P.; ROSCHEL, HAMILTON; UGRINOWITSCH, CARLOS; TRICOLI, VALMOR. BLOOD FLOW RESTRICTION INCREASES METABOLIC STRESS BUT DECREASES MUSCLE ACTIVATION DURING HIGH-LOAD RESISTANCE EXERCISE. MUSCLE & NERVE, v. 57, n. 1, p. 107-111, JAN 2018. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.